sábado, 13 de maio de 2017

Voz do Senadinho

Fugindo do senadinho
Dois políticos  não estão mais dispostos a frequentar o senadinho, por medo de cruzar com um dos senadores mais vocálicos do momento. Leandro da Vidrox está mais para Jair Bolsonaro ou Sílvio Costa, tão elevado é o volume de inquirições e corretivos. Eduardo Alencar já mudou seu nome para Leandro Odebrecht.  "Ele quer delatar", brincou.


Geladinho
Frio nas decisões como um nórdico, o prefeito de Araripina também planeja colocar no frio alunos da rede municipal. Sem querer, um dos responsáveis pelo setor de compras deixou escapar que quase cem aparelhos de ar condicionado serão adquiridos pela prefeitura. Tanto assim, só sendo para a secretaria de educação. Como na Serra do Massapê a sala foi climatizada, deduz-se que esta será uma das marcas que o prefeito pretende colar à sua imagem de gestor.

Oposição não tem dono
Os votos da oposição ao prefeito de Araripina tendem a ser pulverizados. Nenhuma das lideranças que colocaram a cara na disputa de 2016 está disposta a entregar a 'botija' ao casal Roberta e Alexandre. O médico Aluísio Coelho já está colocando o nome na praça. Diz que disputará uma das 49 vagas da assembleia legislativa. Também disse a mesma coisa na eleição passada, quando preferiu demarcar território apoiando Sílvio Costa Filho, que agora circula com Raimundo Pimentel na cidade.

Tião do Gesso
O empresário e ex-vereador Tião do Gesso mantém 'ruidoso' e demorado silêncio  depois que o pleito de 2016 passou. Fez os agradecimentos e mergulhou. Se dependesse apenas de suas declarações, nada saberíamos do seu caldo político. Quem vocaliza são pessoas que com ele sofreram o abandono na reta final da eleição para prefeito. Se a transmissão for direta, muita conta a acertar seu grupo terá com o ex-prefeito, embora o espírito do mesmo seja conciliatório.

Estrada de Salitre
A deputada Socorro Pimentel já colocou na caderneta de débitos do aliado Armando Monteiro o asfaltamento da estrada que liga Araripina a Salitre. Foi lá com a bancada de oposição e fez imagens, informando que só a parte do Ceará está asfaltada. A obra fortalece muito o comércio de Araripina, pois de Salitre e entorno muita gente se abastece no mercado de Araripina e usa suas agências bancárias. Em tese, é o asfalto que falta fazer, caso o de Lagoa do Barro se concretize. A logística da transnordestina já obriga o governo a ligar Lagoa do Barro a Nascente com asfalto.

Comerciantes sem voz
Fora o que vocaliza a CDL em certas oportunidades, os empresários de Araripina não são organizados em associação comercial, como são os industriais do setor gesseiro. Isto impede ou inviabiliza muitas conquistas ou arbitragem de conflitos. O setor, no seu conjunto amplo,  não tem opinado sequer sobre o que fazer no trânsito da cidade, algo preocupante no momento e comprometedor no futuro, caso não se tome as medidas necessárias e urgentes, e não apenas 'enxugamento de gelo', como guardas com apito na bota e nenhuma vaga a oferecer a quem faz voltas na cidade sem conseguir estacionar.  Vale lembrar que a CDL se juntou às massas contra a violência e precipitou o anúncio da abertura de uma Companhia de Polícia Independente em Araripina, algo que já vinha sendo gestado, mas não acontecia. É sinal de força. A união é o caminho.

Fluidez e vagas
Custa caro mas nem tanto resolver o problema do trânsito de Araripina, que lembra o bairro de São José, na capital. O centro de Araripina é congestionado por vários motivos. De forma rasa, pode-se culpar o aglomerado do sistema bancário, com todas as agências numa área de menos de meio quilômetro quadrado. Mas não é só isso. Há um problema estrutural a ser resolvido. O custo total, hoje, não passaria de 2,5 milhões, mas tende a ficar muito caro e inviável, caso não se aplique a legislação desde já, garantindo as adequações ainda possíveis num futuro não muito distante. Mesmo que não se resolva tudo agora, deve-se, ao menos, impedir que a urbanização desmantelada implique em inviabilidade futura. Se não aparecer dinheiro agora para resolver, deve ao menos haver aperfeiçoamento da legislação para garantir intervenções adiante.

Urinar noutro lugar














Os banheiros construídos nos fundos do Banco do Brasil e lateral esquerda da Praça Frei Ibiapina, que agradou a alguns mas contrariou muita gente, já podem dar adeus ao visual da cidade e a  nossa história também. Outro lugar menos visível e constrangedor para quem precisa de mictório poderia ser oferecido (uma casa alugada, por exemplo), para que uma retro-escavadeira fizesse a caridade de remover aquele monumento ao mau gosto, ou mau cheiro. Rebaixado e nivelado ao piso do estacionamento do Banco do Brasil, aquele pedaço de centro bem serviria para acomodar parte da frota que circula e boia sem vaga para estacionar. O terreno do estacionamento, bem como o próprio prédio do BB, foi doado pela prefeitura, desintegrado do espaço que era todo uma praça. Mas o terreno do estacionamento não foi doado para ser murado e transformado em espaço exclusivo dos bancários. Aquilo é do povo e ajudará muito se bem utilizado e reposicionado adequadamente à nossa paisagem, perto do que foi imaginado pelos fundadores da cidade.

A difícil decisão do casal Pimentel
Não é muito fácil de ser tomada a decisão da deputada Socorro Pimentel de largar uma releição certa por uma disputa à câmara federal. Por dois motivos: Os aliados na região precisam de verbas de emenda  de seus deputados federais para agraciar as bases e manter a tropa de pé. Isto também vale para o esposo. Por outro lado, os mesmos aliados já têm seus deputados federais. Será necessário uma grande obra de engenharia para que a candidatura da médica se concretize.  Só mesmo um alinhamento de Armando Monteiro com os ministros pernambucanos pode resultar numa solução que seja boa. Estes, por sua vez, teriam que abrir mão de apoios por aqui e ao mesmo tempo 'roubar' bases compensatórias noutras regiões. A luta pela conquista do Palácio das Princesas justifica muita coisa. A conferir. Doutora Socorro declarou a este blog que até julho ou agosto decide, mas em outra oportunidade deu a entender que a decisão pode demorar um pouco mais, até que seja definitivamente amadurecida.

Bancada do PMDB

Camila Modesto e Luciano Capitão são os dois vereadores do PMDB de Araripina e formam uma bancada de independentes. Há rumores de que Raul Henry, vice-governador e pré-candidato a deputado federal, venha em 2018 a fazer dobradinha com Roberta Arraes em Araripina, embora Lucas Ramos seja pleno favorito nessa corrida. Resta saber se Camila e Luciano engrossariam as fileiras dessa dobradinha Roberta/Raul. Votar em Raul isoladamente deve ser fato consumado, presume-se. 'A dobradinha seria outra história', resumiu uma fonte do Meu Araripe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário