quarta-feira, 17 de maio de 2017

O futuro do Brasil sem PT, PMDB e uma dúzia de organizações criminosas.

Imagem relacionada
A dúvida é saber quem escapa.

É grande a dúvida do que acontecerá a tantos partidos que viraram organizações criminosas e seus dirigentes, já quantificados e qualificados  como  os '300 picaretas do Congresso'.
Não sabemos se haverá eleição em 2018. Não sabemos se teremos eleições antecipadas. Não sabemos se teremos partidos de pé para disputar eleições. As delações premiadas, todas elas, as conhecidas e as em curso, não permitem sequer conjecturas, que dirá informações concretas.
Podemos ter, muito em breve, um pacote de pedidos de extinção de partidos atendido por ministros da Suprema Corte. Já está provado que muitos venderam o tempo de rádio e TV para garantir a reeleição da chapa Dilma-Temer. Dilma caiu, Temer não deve se sustentar. Em tese, o presidente da câmara assumiria. Mas não sabemos o que pesa contra o presidente da câmara Rodrigo Maia. Em tese, a presidente do Supremo Carmém Lúcia assumiria sem Maia, mas não sabemos quanto ela gostaria de fazê-lo.
O certo é que o Brasil está em chamas. O certo é que já se aproximam de 14 milhões de desempregados as vítimas dessa loucura política e policial. O País é um trem desgovernado. Os maiores expoentes da nossa política estão sendo investigados. Não estão preso porque a dileta torcida não deixou ainda. De um lado mortadela, de outro lado, conchavos. Mas não vai durar. O sol se pôs para o atual sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário