quinta-feira, 18 de maio de 2017

Aécio cai. Agora cai o resto, de todos os lados.


Ele não é bonita nem simpática, mas não é para casar, muito menos para demorar no cargo.

Aécio era o argumento dos malandros de todas as tendências políticas. Aécio sempre fez tabelinha com o PT. Funcionava assim: O mineiro entregava Brasília aos petistas em troca de Minas para ele e para os seus. Foi assim com o "Lulécio", o voto em Lula e Aécio por duas vezes; foi assim com o Dilmazia, o voto em Dilma e Anastasia. Este conluio só veio abaixo quando Aécio disputou a presidência contra Dilma. Neste momento, teve que se levantar contra o PT tanto em Minas quanto em Brasília.  Deu nisso. O acordo de falsa oposição e falso confronto foi por terra e as fraturas ficaram expostas.
Agora Aécio perdeu o mandato, está com pedido de prisão para ser votado pelo pleno do STF e sua irmã de confiança, Andréa Neves, já está sendo procurada pela polícia.

O Brasil precisava passar por isso.
A delação dos irmãos Batista, do JBS/Friboi, prova que o maior frigorífico do mundo não só abatia animais de segunda e vendia carne de terceira aos brasileiros. Ele também alimentava as contas e as urnas de políticos de quinta categoria. Agora abate esses políticos de quinta e serve aos leões, a fim de salvar a  empresa, salvar o mercado.
Lula já é um defunto político que só não foi definitivamente afastado da cena porque a 'família militante' insiste em jogar sal e andar com ele pelas ruas do País, a fim de voltar ao poder e ao bolo. Dilma da mesma forma. Os ajudantes de ordem, Palocci de um lado e Eduardo Cunha de outro, estão presos. Outras várias dezenas já acordam sem direito ao sol e outras dezenas rumam para o mesmo fim melancólico nos estados. Começa a aparecer a ramificação pelo vizinho Piauí, mas não há um só estado e uma só cidade grande do País em que o esquema criminoso não tenha fincado estacas.
É hora de drenar todo o pântano para deixar sem água e oxigênio todos os jacarés, peixes elétricos e cobras d'água que aterrorizam o País. Contudo, ainda há resistência. Ainda há golpistas nas ruas, de direita e de esquerda, querendo eleições já. Eles falam em nome de seus bandidos de estimação. Querem salvar seus padrinhos ou apadrinhados com uma eleição relâmpago, sabendo em detalhes que 80% do congresso não tem direito a voto nem a ser votado, bastando para tanto o fim das investigações e a sentença final. São esses que querem se salvar e colocam seus piqueteiros na Avenida Paulista.
O caminho seguro é Carmém Lúcia, a moderada presidente do STF. Nada de Rodrigo Maia, nada de Eunilson Oliveira.
A constituição prever um mês de mandato tampão até eleição indireta, em caso de afastamento de Temer. E Temer não tem mais nada a fazer. Ele nem um Lula chega a ser, pois não tem militância de estimação. Portanto, já pode deixar o Brasil em paz para retomar seu rumo.  Que se faça a nova eleição. Mas que não se eleja ninguém da política e ninguém do mercado. Precisamos de alguém da Lei. O Brasil não pode sangrar por mais um mês. As empresas não aguentam. A sociedade não aguenta. É preciso uma agenda positiva para a economia não retornar à recessão brutal que jogou no desemprego 14 milhões de brasileiros, vitimados por essa gatunagem sem precedentes que agora o Brasil conhece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário