sábado, 6 de maio de 2017

2018 começou muito cedo em Pernambuco com a visita de Paulo Câmara ao Araripe.

Paulo Câmara na metade de seu governo, Raimundo Pimentel no primeiro semestre de sua gestão em Araripina, deputadas Socorro Pimentel e Roberta Arraes, e o senador Armando Monteiro: Personagens centrais de uma disputa em meio a gestões por iniciar e concluir.

Mesmo sem certeza absoluta de que em 2018 acontecerá eleição, ou se apenas em 2020 eleições gerais, inclusive para uma reforma constitucional, definirão o futuro de câmaras municipais, prefeituras, governos estaduais, câmara federal, senado e presidência, o estado de Pernambuco, a partir de Araripina, dá uma largada que mais parece corrida de 100 metros em raia olímpica.
Na hora em que Paulo Câmara retorna pela terceira vez a região Araripe depois de eleito, para inaugurar as primeiras obras prometidas e prometer outras, a oposição agiu como oposição e o governo agiu como governo - tudo ao modo tradicional. Sim! Paulo Câmara governa como técnico mas a Casa Civil de seu governo atua como udenistas e pessedistas dos anos 50. Uma guerra de vídeos, com DNA limpo de Antônio Figueira, o homem forte da Casa Civil, precedida de uma nota da Secretaria de Comunicação, comandada pelo prestigiado jornalista Ennio Benning, rebateram a informação do prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, acusando, ou passando recibo, de uma suposta descortesia do governo estadual, que não teria convidado o chefe do executivo municipal da maior cidade da região, que inclusive marcou o início da jornada do governo, e onde pousou Paulo Câmara. Em nota duríssima, Raimundo Pimentel incendiou as redações de jornais, blogs e emissoras de rádio do estado, repudiando o que considerou ato mesquinho do palácio.  Ver ao final.

"PERNAMBUCO EM AÇÃO", marca criada para tentar mostrar que o governo está trabalhando, já conseguiu atingir parte de seus propósitos. A partir de agora, a alcunha de "pior governador da história",  informada por um radialista ligado à deputada Roberta Arraes em entrevista que fazia com o governador Paulo Câmara, o que o constrangeu profundamente por sair da boca de um suposto aliado (frase que o radialista atribuiu a deputada de oposição Socorro Pimentel), e entra em cena uma disputa por paternidade de obras, ou por uma dúvida profunda, do tipo  sai ou não sai  - tudo aquilo que foi prometido.
E muito foi prometido. Em Araripina, por exemplo, foi prometida a Companhia Independente de Polícia e estrada asfaltada ligando BR 316 a Lagoa do Barro. Em Bodocó, a estrada asfaltada ligando  sede ao distrito de Cipaúba. Em Moreilândia, o asfalto até Caririmirim. São obras de grande vulto, alto valor e significado. Gera mesmo muita desconfiança em se tratando de um governo que vinha desacreditado, até porque deu a pouca sorte de ser comparado ao antecessor e criador, Eduardo Campos.

OS PERSONAGENS E SUAS ATITUDES - E O CAIM COM ABEL DO CAMPO DAS PRINCESAS
Raimundo Pimentel (PSL) é prefeito de Araripina e por três mandatos foi deputado estadual. Socorro Pimentel (PSL) é deputada estadual de primeiro e esposa do prefeito de Araripina. Ambos são aliados políticos do senador Armando Monteiro (PTB), e adversários diretos do governador  Paulo Câmara.
Roberta Arraes (PSB) é deputada estadual que assumiu recentemente com a posse de prefeitos que eram deputados - programou-se para assumir junto com Socorro, sonho frustrado pela formatação do secretariado de Paulo. Alexandre Arraes (PSB) é ex-prefeito de Araripina e esposo da deputada Roberta Arraes.
Antônio Figueira é secretário da Casa Civil de Paulo Câmara e homem de negócios na área de saúde. Na verdade, o é responsável direto pelo modelo de terceirização da saúde no estado de Pernambuco. Sua família criou e dirige o IMIP, hospital de referência no Brasil, e a OSCIPE a que é vinculado dá as cartas na saúde estadual. Sua ligação com Paulo é uma espécie de CAIM E ABEL, visto que o próprio Antônio Figueira almejou ser o candidato de Eduardo Campos, e por sinal o mais cortejado por prefeitos e deputados nos dourados anos no reinado do neto de Miguel Arraes. Figueira era tido como favorito na corrida para disputar o governo do estado, mas perdeu espaço na disputa interna após denúncias não comprovadas de abuso nos preços de serviços prestados pelo IMIP ao sistema SUS, algo que o próprio deve atribuir a fogo interno. O outro que saiu da corrida em 2014 pelo Campo das Princesas foi Tadeu Alencar. Pesou contra o mesmo o fato de ter um filho galante que namorava a filha do governador Eduardo Campos. Não eram casados, mas nada os impedia de casar após a eleição de Tadeu ao governo, o que se configuraria em dinastia pernambucana. Até poderia contar a favor de Tadeu em Pernambuco, mas contava negativamente para Eduardo Campos em sua campanha nacional que se avizinhava. A imprensa do Sudeste já dava os primeiros sinais de repulsa. Pronto. Aí Paulo Câmara, o técnico competente e trabalhador, homem de confiança de Eduardo, ficou só na disputa. Tudo indica que arranjou um Caim para segui-lo dias e dias, embora leal, ou leal até demais - a ponto de comprar muitas 'brigas'. Há quem acredite na possibilidade de trocar Paulo Câmara por outro candidato nas hostes socialistas, mas este não deve ser o caso de Figueira.
Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco, é um jovem de classe média que poderia ser bancário, ou técnico do TCE,  efetivo em qualquer outro cargo da burocracia pública ou da atividade privada, não tivesse ele cruzado o caminho de uma águia na política, chamado Eduardo Campos. Por ser  ágil, leal e muito aplicado, ganhou a simpatia do ex-governador, controlou a máquina e os gastos em intermináveis ilhas de trabalho que gerenciavam todos os programas. Comentava-se que Paulo governava enquanto Eduardo viajava. Escolhido candidato, Paulo saiu do anonimato e em poucas semanas atropelou o senador Armando Monteiro, sendo o mais votado do País em números proporcionais. Armando era favorito absoluto na disputa e por esta razão, e também por ser o candidato de Lula em Pernambuco, atraiu uma legião de políticos que foram aliados ao Palácio até a campanha de 2014 ser iniciada.
Por ter derrotado dois expoentes do PSB na disputa interna, Tadeu Alencar e Antônio Figueira, e por ter derrotado até mesmo antigos aliados que passaram de repente ao barco de Armando, Paulo chegou ao Campo das Princesas altamente vulnerável. Chegou sem poder contar com os conselhos e a arbitragem de conflitos de Eduardo Campos, morto tragicamente, e não pode contar com o Paulo de Eduardo para ver tudo com olho biônico - o Paulo era ele mesmo. Aparentemente deu um branco inicial, ou mesmo um apagão. Sem contar que o fogo interno não foi desativado após a disputa que o levou ao posto, e mesmo assim Antônio Figueira se transformou no homem forte de seu governo. Não por acaso, foi da casa civil que partiu a lambança que diminuiu o brilho e  dividiu o noticiário da sua visita a Araripina. Em vez de um convite pessoal do próprio Figueira a Raimundo Pimentel,e outro à Deputada Socorro Pimentel, eis que um emissário chega à prefeitura na véspera da visita governamental com a ordem de pegar as chaves do Hotel Pousada, onde o prefeito de Araripina pretendia construir um centro administrativo. Foi nitroglicerina pura  e as brigas paroquianas  lançaram chamas no andar superior do Palácio do Campo das Princesas.

TERRINHA
Raimundo Pimentel derrotou o candidato apoiado por Alexandre Arraes na eleição de 2016, depois de um traumático processo, em que o candidato natural do grupo foi literalmente desmontado pela casa civil, na pessoa de Antônio Figueira, que colocou na mesa de negociação, assim do nada, um médico piauiense recém chegado, que a um ano atrás tinha dado apoio a Armando Monteiro, a Lula, a Adalberto Cavalcanti e a Sílvio Costa Filho. Foi este o perfil político local que Antônio Figueira utilizou para espatifar o sólido grupo que governava Araripina. Depois que minou Valmir Filho (PMDB) na disputa, terminou por obrigar o resto que sobrou de situação a abandonar a candidatura de Tião do Gesso para fortalecer a candidatura do médico que se opôs cem por cento ao grupo de Eduardo Campos em Araripina.
Tirem suas conclusões.

PAULO CÂMARA poderá até chegar a ser o melhor governador da história para Araripina, trazendo a Companhia de Polícia, a estrada de Lagoa do Barro, já prometidas, inaugurar UTI e Hemodiálise no Hospital Santa Maria e por cima iniciar o asfalto que liga Pernambuco ao Estado do Ceará via cidade de Salitre, a região que faz opção pelo mercado de Araripina. Mesmo fazendo tudo isto e perfurando muitos poços, dificilmente sairá consagrado das urnas na capital do gesso. O mesmo pode ocorrer em Ouricuri, onde inaugurou UPAE, em Bodocó onde anunciou asfalto de estrada, em Moreilândia, onde também anunciou asfalto para Caririmirim e até mesmo em Ipubi, onde inaugurou a estrada asfaltada ligando a sede a Serra Branca e Serrolância. De nada adiantará o governador juntar com as mãos caso a turma do 'fogo amigo' se juntar aos adversários para espalhar com os pés.
Os motivos foram expostos acima. Ele próprio, o governador, poderá inaugurar o estilo do seu criador Eduardo Campos e partir para iniciativas de bombeiro. Pernambuco precisa de soluções conjuntas. Araripina e todo o Araripe precisam de ações conjuntas. Esse fogo de monturo e essas chamas em várias frentes só alimentam a vaidade de quem briga por espaço nas paróquias. Isso, definitivamente, não interessa ao povo nem consolida Araripina como pólo dessa enorme e profícua tríplice fronteira. Há muito o que ser feito e discutido em parceria município/estado/união. Há um enorme parque eólico em construção. Há uma vasta chapada a ser explorada para gerar emprego, renda e muito desenvolvimento. Há uma fábrica de fécula parada esperando ações conjuntas para funcionar e gerar emprego e renda. Há problemas de saúde, de educação e segurança. Há uma bacia leiteira em Bodocó e um Pólo Gesseiro inteiro esperando medidas para sair da crise.
Uma falta de convite ou de ternura não pode alimentar uma rinha que só enche o ego de perdedores internos e vencedores de disputas lá e cá. Todos os governadores que foram reeleitos mantiveram boa sintonia com os prefeitos de Araripina. Jarbas sabia bem como eram fortes os ecos que saiam daqui em direção à capital e deu seu jeito de amolecer o coração arraesista de Emanuel Bringel, então PSB. Venceu bem, sem barulho e sem adversário à altura a disputa pela reeleição. Nada leva a crer que o casal Raimundo e Socorro, prefeito e deputada, será cooptado. Mas nem por isso Pernambuco e Araripina devem assistir a uma ruptura institucional iniciada com uma descortesia ou desconvite descambar para fraturas de parcerias entre os entes federados, com prejuízos dolorosos para um povo que já é pobre e sofrido.

A NOTA DO PREFEITO RAIMUNDO PIMENTEL
Em resposta à nota do secretário de Imprensa de Pernambuco, Ennio Benning, e ao vídeo do secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, esclareço que:
1.    Os endereços de e-mail informados pelo secretário, para os quais foram enviados os convites, não correspondem aos meus endereços eletrônicos pessoais;
2.    Convites institucionais devem ser enviados para e-mails institucionais. No meu caso, sãoraimundo.pimentel@araripina.pe.gov.br ougabinete@araripina.pe.gov.br. Nenhum destes endereços recebeu convite formal do cerimonial do Governo do Estado;
3.    Assim como mostra a imagem divulgada pelo secretário, o convite só foi enviado, ainda que para o e-mail errado, somente ontem (04 de maio), entretanto, a programação do governador já estava marcada há semanas;
4.    Ao contrário do que afirmou o secretário Figueira, eu não fui informado formalmente sobre os atos em Araripina, prova disto é que a equipe do governador nem sequer entrou em contato comigo para que eu pudesse lhes entregar as chaves do Pousada do Araripe, que estava sob posse do município mediante decisão judicial;
5.    Eu apenas tinha conhecimento do evento em Ouricuri porque é um ato público e estava divulgado nos meios de comunicação da região.
                  Raimundo Pimentel

                  Prefeito de Araripina

A NOTA DA ASSESSORIA DA CASA CIVIL
Nota oficial
A Casa Civil de Pernambuco lamenta que o Prefeito do Município de Araripina venha partidarizar e apequenar a relação institucional que existe com o Governo do Estado.
O prefeito Raimundo Pimentel foi convidado, sim, para toda a programação do governador Paulo Câmara no Sertão do Araripe. Raimundo e todos os prefeitos da região. Conjuntamente. Infelizmente, temos de dizer: o prefeito mentiu. Cópia do e-mail enviado a ele comprova a informação. O e-mail, inclusive, faz parte de uma relação de contatos de todos prefeitos, disponibilizada pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe).
Além disso, por duas vezes, o secretário-executivo da Casa Civil, Tarcisio Ribeiro, conversou, por telefone, com Raimundo para convidá-lo e também para detalhar a programação do Pernambuco em Ação.
É muito triste que, por motivos eleitorais, o prefeito Raimundo se negue a participar de eventos que melhoram a vida do povo de Araripina e de todo o Araripe.
Com relação ao imóvel onde funcionará a futura Companhia Independente de Araripina, necessário esclarecer que o Município de Araripina firmou um convênio com a EMPETUR para a cessão do chamado HOTEL POUSADA DO ARARIPE para a finalidade específica de construção de uma UPA.  Não existiu no convênio previsão para instalação de Centro Administrativo e de Centro de Convenções por parte do município. Por isso, o município não poderia fazer obras com esse objetivo no terreno. A construção da Companhia Independente, pleito da população do Araripe, em nada prejudicará, portanto, a construção ou o funcionamento da UPA, sendo uma destinação legítima da propriedade.
Esta é a verdade.
A Companhia Independente de Araripina será fundamental para melhorar a segurança pública não apenas no município, mas em toda a região. O prefeito Raimundo Pimentel é contra o aumento da segurança no Sertão do Araripe? Parece que sim.
O governador Paulo Câmara reafirma que não se afastará um milímetro sequer da firme determinação de governar para todos os pernambucanos, independentemente de partidos.
Não vamos apequenar o bem do povo.
Secretaria da Casa Civil do Governo do Estado de Pernambuco

A NOTÍCIA FINAL QUE CIRCULOU SOBRE A VINDA DE PAULO CÂMARA AO ARARIPE

Na etapa do seminário Pernambuco em ação do Araripe, ontem, o governador Paulo Câmara (PSB) entregou duas grandes obras num momento em que a oposição, desconfiada de que ele antecipou a campanha da reeleição, também tem percorrido o Interior fiscalizando o Governo. Em Ipubi, a capital do gesso, entregou a estrada pavimentada ligando o município ao distrito de Serrolândia, velho sonho dos empresários da região, porque vai facilitar o escoamento da produção gesseira para outras regiões.
Em Ouricuri, onde reuniu uma multidão numa escola para instalação do seminário, Câmara inaugurou a Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) do Sertão do Araripe. O equipamento, o sexto da modalidade no território sertanejo e o décimo do Estado, vai atender a 11 municípios da região. Com um investimento de R$ 9,8 milhões, entre obras e aquisição de equipamentos, a nova UPAE vai oferecer também consultas com especialistas e exames em um mesmo ambiente.
“Esse é um equipamento importante que vai dar um reforço fundamental aqui para a região. Vamos encurtar o deslocamento e o tempo de espera para a realização dos exames, desafogando o hospital do município. Onde tem UPAE no Estado, as respostas são muito boas, os serviços de prevenção ocorrem de maneira satisfatória. E a gente quer continuar a trabalhar e investir assim, em uma saúde cada vez mais humanizada e mais próxima da população”, disse o governador. Além de Ouricuri, passam a ser beneficiados com um melhor atendimento de saúde os municípios de Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade.
Na UPAE, serão oferecidos os serviços médicos nas especialidades de cardiologia, dermatologia, otorrinolaringologia, urologia, ginecologia, endocrinologia e gastroenterologia. No seu moderno centro de apoio diagnóstico, haverá aparelhos para realização de exames de ultrassom, eletrocardiograma, eco cardiograma, audiometria, ergometria, espirometria, endoscopia,  entre outros. Além disso, o local dispõe ainda de espaço para reabilitação física e consultas com profissionais das áreas de fisioterapia, enfermagem, psicologia, terapia ocupacional, serviço social, nutrição e fonoaudiologia.
O equipamento irá oferecer aos moradores do Sertão do Araripe, aproximadamente, 12 mil consultas médicas, mais de 1,6 mil não médicas e 1,7 mil sessões de fisioterapia por ano. O processo de implantação dos serviços se dará de forma gradativa, dentro de um cronograma específico, como sempre acontece na implantação de novos centros de Saúde. A expectativa é de que a UPAE esteja funcionando com 100% da sua capacidade em nove meses.
O secretário estadual de Saúde, Iran Costa, destacou que essa inauguração representa mais um passo importante na descentralização da oferta de serviços e interiorização da assistência médica de qualidade no Estado. “A UPAE é um equipamento de Saúde importantíssimo, pois fortalece a Atenção Básica dos municípios, evita que a população precise se deslocar e peregrinar até a capital para cuidar da sua saúde e, por fazer a medicina preventiva, diminui o adoecimento e os internamentos hospitalares”, afirmou.
BATALHÃO– Na passagem por Araripina, logo cedo, o governador Paulo Câmara assinou o Projeto de Lei para a criação da 9ª Companhia Independente da Polícia Militar. O equipamento, quando estiver em funcionamento, vai atender também as cidades de Ipubi e Trindade, totalizando cerca de 150 mil habitantes beneficiados. A pauta deverá ser votada ainda este mês na Assembleia Legislativa de Pernambuco. No momento em que há uma decisão política no enfrentamento à violência, o quartel da PM atuará no policiamento ostensivo, prevenindo crimes e aumentando a segurança.

LEIA MAIS  AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário