domingo, 9 de junho de 2013

O Bolsa Família e a transa de Danyela: É só uma ideia.


O Bolsa Família vai gerar tantos frutos quanto o sexo entre Danyela Mercury e essa outra morena.

Depois de comprovado que o Programa Bolsa Família só criou estagnação e preguiça no Brasil, sobretudo quando se compara os dados econômicos nacionais com paísecos da América Latina e até da África, resta agora encontrar uma saída para a crise e outra para o Programa Bolsa Família, vez que a classe média entrou em colapso e não suporta mais pagar a conta.

UMA SOLUÇÃO INTELIGENTE E SIMPLES seria a seguinte: O governo disponibiliza os dados de quem recebe a Bolsa Família para o Ministério do  Trabalho, este envia os dados dos bolsistas para as Agências do Trabalho de todo País, e estas levam aos empresários a lista dos que estejam dispostos a trabalhar e receber qualificação para algum setor da economia. Depois do encontro entre bolsista e empreendedor, o governo entra em ação, dando o curso de capacitação para o trabalho encontrado e o empresário passa a receber incentivos para empregar aquela pessoa. Uma forma de incentivo seria posterior transferência da bolsa para a empresa, que transformaria o incentivo em mais um emprego. Simples assim. Em vez de gerar preguiça, o programa geraria emprego, produção e sustentabilidade da economia, salvando também a previdência social. Se restar provado que o bolsista se recusa a trabalhar para manter a bolsa, corta-se a bolsa e o salário pela função que exercia. Pois a bolsa só pode ser solução e travessia para cidadãos de bem com bons propósitos e nunca uma muleta eterna para quem só quer viver às custas do suor alheio.
Não há o que temer. O que não podemos é ter medo de dizer que o trabalho é que dignifica o homem. E para que o País não se torne de vez o paraíso dos oportunistas, devemos levar a Daniela Mercury as seguintes perguntas: Você sentia prazer quando fazia sexo com o ex-marido? Se excitava ao tocá-lo? Chegou ao orgasmo nas vezes que fez sexo e gerou seus filhos? Gemia sem sentir dor? Se as respostas forem sim, ela de fato está mentindo agora, pois uma senhora de 47 anos não mudaria sua genética depois de ter conhecido a menopausa.
Provavelmente depois de parar de vender disco e fazer sucesso, Danyela manteve a vontade de ganhar sempre mais e, tendo a certeza de que o Brasil é um país que conta com uma classe média formada por muitos otários, resolveu arrancar dinheiro de um público específico. Ou seja: quer entrar  no  'bacanal' e ao mesmo tempo que ganhar dinheiro fácil e em abundância.
Agora foi Dayela. Em seguida virá a Xuxa? Ou a Ivete? ou Ambas?
Não se trata de preconceito. Longe disso. Sou de respeitar todas as diferenças e opções. O que estamos combatendo com veemência é o oportunismo, a esperteza, a ganância por muito de uma e o contentamento com pouco de milhões de bolsistas.
Há que se perguntar o que tem a ver Bolsa Família com a jogada da cantora baiana. E a resposta é: tudo!. Tudo é oportunismo e tudo é bolsa. A bolsa que Danyela quer é a bolsa 'cultura'. Daqui a pouco será contratada pelo PT para influenciar a cabeça mal formada dos filhos e netos das pessoas que vivem do Bolsa Família. Junta-se tudo numa cota só, acrescida das outras cotas que aniquilam o mérito, e está assegurada a vitória do PT e a derrota final do Brasil, que se tornará definitivamente vulgar, ridículo, pervertido, pobre e condenado ao fracasso como promessa de potência mundial. Sem chance. Pois nenhum país vai para a frente desprezando o mérito e promovendo a preguiça a um só tempo.
O futuro do Brasil é sombrio. Se um basta a tudo isso não for dado, o País corre o risco de gerar tantos frutos quanto o que resultará de uma ou mil transas entre a cantora Danyela com esta outra morena da foto.  Não que estejamos querendo associar a opção sexual de Dilma, nossa presidenta, ou sua opção por não ter marido e lar conforme a Bíblia, a tudo que está acontecendo no Pais. Longe disso. Mas o fato é que tudo acontece para o seu contentamento, prazer, conquista e realização.
Como dizem lá no Facebook: Se você concorda e está preocupado (a), COMPARTILHA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário