segunda-feira, 3 de junho de 2013

Ano do nego

Estamos no ano mais singular do calendário político local. É o ano do nego. Do nada, alguém arranja uma forma de ser entrevistado ou ouvido para novamente afirmar que "Só trato de 2014 em 2014", ou para ser ainda mais direto na 'negativa': "Só falo de candidatura a deputado ouvindo o grupo". Pura tolice. Pura balela. Na verdade, o que cada um pré-candidato a deputado tenta e consegue é manter o nome na mente das pessoas, no imaginário coletivo. O artifício de negar (que esteja em campanha) é a forma mais eficiente de afirmar que existe como candidato sem trazer para si os problemas e demandas de um candidato. É um artifício, e como todo artifício, embute defeitos que mais à frente aparecerão.
Os americanos do Norte já resolveram esse problema para salvar a democracia. De forma bisonha, alguns 'democratas' do Sul espalham a tese de que o Brasil antecipa as campanhas e separa o gestor do foco. Alegam que nos EUA a campanha é bem mais curta. Esquecem, contudo, de incluir a primária que cada partido realiza para escolher seus candidatos. Lá na democracia mais consolidada do mundo as primárias funcionam como laboratório onde todos os elementos são testados e finalmente aprovados para enfrentar o adversário. É a forma mais eficiente de permitir que cada um 'elemento' político mate a sua tara e prove que tem força, poder, prestígio, inteligência e capacidade. Inclusive a capacidade de juntar dinheiro para levar adiante a campanha quando ela de fato começar a esquentar.
À falta de primárias, temos  que nos contentar com a fase do nego por aqui.

QUEM ANDA 'NEGANDO'
Quem mais nega, inclusive com foto captada em estúdio de rádio, é Ricardo Arraes, irmão do prefeito Alexandre Arraes. Ele nega que seja candidato a deputado estadual. Deveria aumentar o nego para deputado federal, onde as espadas dos 'negadores' estão penduradas. Quem já parou de negar foi a primeira-dama Roberta, talvez por não precisar tanto de negativas como arma de afirmação. Outro que diminuiu as negativas foi o secretário de produção Brenno Ramos. Por razões mais que óbvias, ele não tem interesse momentâneo de negar seu interesse de assumir a cadeira que foi do pai José Ramos na casa Joaquim Nabuco. Doutor Divanágoras, o grande médico, (o famoso mão-santa), também nega. Outro que já negou uma vez foi o presidente da câmara Luciano Capitão.
SÓ UMA ADEGA de qualidade para desnudar o NEGO. Mas nem todos apreciam vinho.

QUEM EVITA NEGAR
Quem nunca nega é Nunes Rafael. Ele afirmou mais uma vez que será candidato a deputado federal pelo PHS. Sua esposa, Fabíola Paiva, é secretária municipal. Ocupa a secretaria de Mulheres. Isto permite crer que ninguém precisaria está negando nada. Ou não. Prova verdadeira dessa necessidade só em junho de 2014.


NEGAR QUE NEGA
De tanto negar que quer mas lutar para ser, não será candidato a deputado apenas aquele que negar que nega. Já peguei no pulso de dois representantes deste grupo específico. Os médicos e irmãos Ryan Lacerda e Valmir Filho negam que negam de pés juntos. Ou seja: os dois estão fora da disputa em 2014. Se por ventura for disfarce, será preciso ler a quarta intenção, que seria representada por uma frase com três negos. "Nego  que nego que nego".

Nenhum comentário:

Postar um comentário