quarta-feira, 15 de maio de 2013

Para por fim aos privilégios à Petrolina, somente uma autarquia (CODEVASF) para a Chapada do Araripe e circunvizinhança.


Não é de hoje que Petrolina se apodera das verbas destinadas à promoção do desenvolvimento regional. Apesar de ser o município que menos joga água para a calha do Rio São Francisco, Petrolina é aquele que mais tira benefícios do Velho Chico e de sua fascinante  história, não apenas por exibir a imagem de uma ponte que a liga a Juazeiro (BA), mas por contar com políticos 'bairristas', que levam a sério a versão bíblica "Matheus, primeiro os teus". Araripina, toda a região Araripe e Sertão Central, que despejam no rio as enxurradas de água provenientes de invernos mais rigorosos e alongados (mais de 700 mm é a média histórica de Araripina), têm que se contentar com migalhas e até mesmo suportar dessabores de conviver com cisternas amontoadas num parque, fruto do descaso da CODEVASF dos Coelhos, ao tempo em que pessoas que fazem parte do poder municipal são submetidas a pedir favores a vereadores que apoiam Fernando Bezerra Filho, a quem são obrigados a procurar a fim de tratarem da divisão de poços que deveriam servir a órgãos importantes, como a um hospital, por exemplo.
A força da CODEVASF, que serve quase que apenas a Petrolina (fora dos períodos eleitorais), está criando dois sertões: O da própria Petrolina, que sedia o órgão, e os demais, que brigam pelas migalhas.
Para por fim a este desajuste político e econômico, forças políticas locais começam a se movimentar na tentativa de criar a 'CODEVASF' da Chapada do Araripe, região que engloba cidades de três estrados fronteiriços (ver mapa). É esperada, a partir de agora, uma maior mobilização entre as lideranças políticas, empresariais, sindicais e sobretudo das classes trabalhadoras. Precisamos despertar Recife e Brasília para a necessidade de criarmos uma Autarquia de Desenvolvimento Regional que aglutine os estados de Pernambuco, Ceará e Piauí, região homogênea e promissora, conhecida como Chapada do Araripe, que inclusive dispõe do instrumento jurídico de uma APA. Desta autarquia também passariam a fazer parte municípios abandonados pela CODEVASF, circunvizinhos, que têm as mesmas vocações ou vocações semelhantes, e enfrentam as mesmas dificuldades de acessar ao órgão que se transformou em 'bodega'  dos Coelho de Petrolina, independente da ala ou sub-ala. Do contrário, as cidades que compõem esta importante e promissora região, que inclusive abriga as maiores reservas de gesso e magníficas jazidas de ferro e outros minérios, terão que se contentar em aplaudir Petrolina, Juazeiro do Norte e da Bahia, vendo os anos se passarem e, em vez de viver o desenvolvimento, viver de pedir favores e de mandar nossos filhos para estes lugares. É este o primeiro grito. Muitos outros virão.
Nesta linha, o prefeito Alexandre Arraes, de Araripina, se pronunciou em reunião do Consórcio Regional que preside. Também engajado, o administrador de empresas Aírton Laje faz defesa sensata e embasada da tese, sendo pioneiro em levantar a voz.  Confira a reflexão de Aírton Arraes Laje:


NÓS PRECISAMOS, NÓS QUEREMOS, NÓS PODEMOS!
   O Araripe é membro da CODEVASF (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba). Este órgão público surgiu com a finalidade de fomentar o progresso do Vale do São Francisco, sendo posteriormente estendido para outras localidades, a exemplo do Araripe. Embora tenha havido essa sensibilidade de ampliar os locais atendidos, o desenvolvimento nunca foi visto pelo povo das outras regiões na mesma intensidade com que o Vale do São Francisco assistiu e continua assistindo.
   Ficamos felizes em ver que os nossos irmãos sertanejos do Vale do São Francisco, em decorrência do avanço obtido nos últimos anos, gozam hoje de uma enorme visibilidade em todo o país. Entretanto, nós também queremos a evolução para nossa região. A CODEVASF tornou-se pequena para atender tantas demandas.  Entendemos que o Araripe tem um potencial de crescimento animador. E quando nos referimos ao Araripe, nos estendemos ao Ceará e ao Piauí, estados vizinhos com municípios membros da região. É por isso que defendemos a criação de uma autarquia, como forte ferramenta para possibilitar ao Sertão do Araripe melhores e maiores instrumentos de desenvolvimento.
   Com uma população estimada em um milhão e oitocentos mil habitantes distribuídos em 112 cidades dos estados de Pernambuco, Piauí e Ceará, chega a hora de articular uma nova esperança para esse povo sofrido: a criação da Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe. Com um orgão próprio, a seca seria enfrentada por quem efetivamente convive com este problema. E quando temos o conhecimento a solução chega em melhor qualidade e em maior rapidez. Teríamos recursos específicos para combater a seca ao invés de apenas contribuições da CODEVASF, que  ajudam, claro, mas não correspondem ao verdadeiro enfrentamento das longas estiagens, além de incentivos substanciais direcionados para o desenvolvimento por um todo.
   Para viabilizar a chegada desta autarquia, a palavra-chave é a união. Primeiro, a união do Araripe pernambucano, cearense e piauiense. E depois da classe política. A Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe é uma ideia que caminha lado a lado com um projeto político maior para a nossa região. Agora falamos específicamente do Araripe de Pernambuco. Precisamos buscar a redenção, mas isso só acontecerá com representatividade política, a exemplo de Petrolina. Temos todas as condições de termos dois deputados estaduais e um federal. Já temos um prefeito bastante respeitado em todo o estado e que preside o Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe (CISAPE). Com os deputados estaduais e federal e Alexandre Arraes, que se mostra sensível a esta causa, no CISAPE, o Araripe pernambucano reune todas as condições de ser o vanguardista desse movimento em prol da chegada da Autarquia de Desenvolvimento do Sertão do Araripe. Seria o alento do nosso povo e um sinal claro da chegada de um tempo novo para nós sertanejos araripeanos, a sorte está lançada, vamos a luta.

 Airton Arraes Lage
    É Administrador, Professor e especialista em Educação e Marketing.

Nenhum comentário:

Postar um comentário