segunda-feira, 1 de abril de 2013

Prefeitos protestam contra medida que quebra prefeituras para salvar empregos no ABC paulista

reuniao_amupe_foto_divulgaçao
Cerca de 120 prefeitos de Pernambuco subscreveram nesta segunda-feira, na sede da Amupe, uma “Moção de Repúdio” à presidente Dilma Rousseff e ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, pela decisão de prorrogar até dezembro a redução do IPI para a indústria automobilística.
A prorrogação afetará fortemente o caixa dos estados e municípios porque o IPI é um dos dois impostos que formam o Fundo de Participação (o outro é o Imposto de Renda).
O presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), chamou a prorrogação, que deveria ter terminado no último dia 31, de “golpe contra os municípios”.
A “Moção de Repúdio” foi articulada pelo prefeito de São Lourenço da Mata, Ettore Labanca (PSB), o mais “antidilmista” dos prefeitos do PSB devido à insensibilidade da presidente da República diante das questões federativas.
Segundo ele, os municípios só terão agora o caminho das demissões, pois com o aumento do salário mínimo e do piso salarial dos professores muitos deles já ultrapassaram o limite de gasto com a folha estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
“Isso é penalizar os municípios mais uma vez, especialmente os do Nordeste, em favor da indústria automobilística de São Paulo, pois já foi comprovado que isso em nada ajuda a economia do país”, afirmou Ettore Labanca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário