segunda-feira, 22 de abril de 2013

Alexandre Arraes tenta ajustar a comunicação

Genival Sousa e Carlos Lima são profissionais experientes e testados para integrar a equipe de qualquer governo. Os dois desempenharam pepeis relevantes na campanha do prefeito Alexandre Arraes. 

O prefeito Alexandre Arraes, até com certa antecedência, começa a tentar ajustar os ponteiros da comunicação, o que geralmente só começa a ocorrer a partir do sexto mês de mandato, quando já existe um pequeno rosário de coisas para mostrar. Talvez por não ser dono de rádio, o prefeito de Araripina esteja se antecipando.

OS PROFISSIONAIS E AS TENTATIVAS
Alexandre aposta muito em nomes como o de Iveraldo Nascimento, Carlos Lima, Genival Sousa, entre outros, para comandar a comunicação geral de rádio e cuidar do cerimonial. Jorge Possetti está se saindo muito bem na parte que lhe cabe, que é produzir a notícia conforme os fatos e distribuí-la na paróquia e fora dela. Até comunicação de massa está fazendo. Neste particular, nunca se viu tanto conteúdo com cara de profissional saindo de Araripina e ocupando as páginas de jornais e blogs. Possetti está indo além do que se espera dele. Mas a comunicação para as massas, aquela que não deixa espaço para dúvidas e nunca para de predominar, esta ainda não existiu de fato e todos sabem disso.
O problema é que querer não é ter. E o prefeito esbarra em problemas de várias ordens. A supervalorização dos profissionais de Araripina, que ganharam notoriedade com as campanhas bem sucedidas que trabalharam e a qualidade do produto oferecido, é um deles. Não é barato ter gente de qualidade na comunicação.
Iveraldo Nascimento, por exemplo, está se expandindo e já chegou ao longínquo Maranhão com seu talento, ficando cada vez mais difícil para Araripina tê-lo integralmente - até porque o mesmo acumula as funções de editor de um jornal de circulação regional.
É inevitável. O prefeito terá que perder a cerimônia e timidez e procurar aquele que escolher para fazer a proposta financeira, mesmo sabendo que é modesta e não satisfaz, mas deixando claro que ´'é de coração o que oferece - reconhecimento".
O perfil do profissional é outro impedimento. Aqueles mais proativos e combativos no microfone de suas rádios também são os que agregam menos no palanque e na comunicação geral. Alexandre tem boas opções de perfil para comando entre aqueles que estiveram ao seu lado na dura batalha, inclusive dispõe de nomes que têm função de comando na emissora de origem. Mas sabe que  vai desagradar aqueles não escolhidos.
O cobertor é curto, mas sempre é possível esticar um pouco. Com jeito para não rasgar, diga-se de passagem. O importante é valorizar o talento; valorizar a dedicação; valorizar a coerência e a entrega à causa comum. E torcer para não levar chute pelas costas, após a escolha.
Regra: Quanto mais feliz a escolha, menos chance de desagradar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário