quarta-feira, 6 de março de 2013

'Tapete presidencial'

A perimetral de Araripina, além de alargada, está um tapete nos trechos já concluídos. Junto com a estrada do Aeroporto e a rodovia Araripina-Rancharia, marca o início de gestão de Alexandre Arraes. A inauguração oficial deve acontecer com festa de 'arromba', certamente com a presença do presidenciável Eduardo Campos.
Mas não deve ser em Araripina que o neto de Miguel Arreas lançará a sua candidatura. Pelo menos por enquanto. Se bem que deveria ser bem na fronteira de Pernambuco e Ceará, na grande chapada, de onde saiu seu avô, a deflagração de sua campanha presidencial, com gente e lideranças de Araripina, Araripe, Crato, Campos Sales, Salitre e cidades vizinhas do Piauí, Ceará e Pernambuco. Daqui, dos nossos 750 metros de altitude, deveria ecoar o 'primeiro grito'. Certamente Dilma não se arreiscaria a imitar o gesto numa tríplice fronteira tão importante e histórica quanto esta que viu nascer o Rei Luis Gonzaga e Miguel Arraes, dois homens que lutavam cada um à sua maneira para o crescimento do homem sertanejo sem a submissão (esmola) que se espalha hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário