sexta-feira, 29 de março de 2013

Os grandes nomes que ainda não foram homenageados em Araripina

Araripina teve sorte na sua origem. Pessoas de boa índole, empreendedoras e de grande visão de futuro fundaram esta cidade ou chegaram aqui logo após a sua fundação. Constituíram famílias numerosas e também empresas; tocaram negócios. Deram uma dinâmica diferente à capital do gesso, antiga capital da farinha. Alguns desses homens, contudo, sequer foram lembrados por seus feitos. Não pelo poder público. Prova disso é que muitos dos bem-feitores de Araripina não dão nome às obras importantes que aqui existem. A reflexão é oportuna por vários motivos: Primeiro, porque a terra que não homenageia seus ícones deixa de valorizar seus feitos e por conseguinte de incentivar que outros façam igual ou melhor; Segundo, porque o município está recebendo uma série de obras importantes e é chegada a hora de se discutir com a sociedade que nome dar a cada uma. É preciso critério histórico e social e não apenas político para batizar uma obra.
A primeira sugestão para que não ocorram erros grosseiros, e para que a nossa história não seja jogada no baú do esquecimento, é que a câmara municipal aprecie, juntamente com a sociedade, a lista de nomes que devem ser homenageados por obras importantes, sejam municipais, estaduais ou federais. Esta lista, uma vez discutida com serenidade e sem açodamento, seria encaminhada à Assembleia Legislativa, para que, até mesmo lá, a ordem de importância dos nomes fosse respeitada.
Para quem não está atento aos fatos, basta dizer, sem demérito para outros que mereçam destaque, que Araripina deixou de homenagear de forma justa quem mais fez em várias áreas.
Vejam lista dos esquecidos pelos que prestam homenagem:

1) Sebastião Batista Modesto (Sebasto Batista) - Ex-prefeito dua vezes, um dos gestores mais austeros e comprometidos com a educação e a disciplina fiscal que se tem conhecimento em Araripina;
2) Raimundo Batista de Lima  (Dosa)- Ex-prefeito, comerciante, granade realizador, amigo de todos;
3) Valdemir Batista de Sousa (Mimi) - Ex-prefeito,  responsável por calçar mais de cem ruas e também pela vinda do SESC E SESI, médico, humanista convicto, grande benfeitor;
4) Manoel Ramos de Barros (Seu Né), ex-prefeito que deu início à urbanização de Araripina e um de seus fundadores;
5) Valdemiro Lacerda de Sousa - Pioneiro da industrialização moderna (ICOASA), comerciante, responsável pela construção de grandes armazéns, cinema (Cine Marilac) e casa de destaque para a época;
6) Expedito Granja Arraes - Industrial (fundou o Café Araripe),  comerciante e agrocopecuarista, homem de visão que levou o nome do Araripe através de um café que foi o preferido da maioria, em vários estados, até que as grandes torrefações decidiram praticar dampping e inviabilizar todas as pequenas e médias indústrias do ramo;
7) Sebastião Alves de Holanda - Médico, pai de dois médicos (Divágoras e Divanágoras), humanista e grande personalidade regional;
8) Antônio Lacerda Sobrinho - Comerciante e industrial, agropecuarista, humanista, uma espécie de conciliador nato na política local.
9) Joaquim Pereira Lima - Vereador, prefeito, deputado estadual, comerciante e agropecuarista, político com P maiúsculo;

A lista é extensa. Muitos nomes não foram citados. Não se trata de injustiça. Este é apenas o primeiro texto nessa tentativa de levantar um debate que não existe e evitar que políticos se apequenem na questão e usem seus mandatos para homenagear conforme suas conveniências políticas.
Para que se tenha uma ideia mais precisa do fato, basta dizer que o fundador de Araripina, aquele que tirou do bolso para custear as despesas da emancipação, ainda hoje não foi merecedor de uma grande homenagem. A única obra que o homenageava não mais existe ou faz jus. O Centro Social Urbano Francisco da Rosa Muniz deixou de existir e seu "Chiquinho Cícero", o Patrono da Emancipação, em breve será um ilustre esquecido.

MUITAS OBRAS
Araripina vive um momento importante, em que grandes obras estão sendo realizadas. É hora de começar a diminuir a lista de injustiças. Que sirvam de exemplo o Aeroporto, a estrade de acesso ao Aeroporto, a Estrada de Rancharia, a Delegacia do Trabalho, a estrada que liga a Lagoa de Dentro e sua continuação até Nascente (pode homenagear dois), o Centro de Hemodiálise, a UPA 24 Horas, entre outras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário