sábado, 30 de março de 2013

Homenagens: Enquete ao lado

Se você tem opinião formada, aproveite a enquete ao lado para sugerir quem deveria ser homenageado em Araripina nas próximas inaugurações de obras. O debate é uma forma de evitar esquecimentos e inibir injustiças. Podemos influenciar a Câmara Municipal a formular uma lista com o nome dos que merecem homenagem, especificando o tipo de obra que pode levar o nome de cada homenageado. Esta lista poderia ser transformada em Projeto de Lei, crindo-se a 'fila' das homenagens, a qual seria encaminhada a Assembleia Legislativa do Estado, para que esta passe a respeitar a vontade das pessoas de Araripina e também a sua história sempre que colocar em pauta a votação projetos de lei denominando as obras estaduais em território araripinense.
A enquete ao lado não contempla todos os nomes merecedores de homenagem. É apenas o embrião de uma lista mais ampla. Mas você pode sugerir, tanto na postagem abaixo, que aborda o tema, como nas redes sociais, compartilhando a reportagem e abrindo o debate, com espaço para sugestões e justificativas. Se você não participa, não opina, acontecem as injustiças. Depois, nada pode ser feito. Apenas lamentado.
Aproveite e vote ao lado. Em seguida, ofereça sugestões na área de comentários.
A história de Araripina agradece. Juntos, podemos elaborar a lista, apresentando a melhor justificativa para defender o nome de cada homenageado, e a obra que pode ser usada para este fim. Seria um ´banco de dados', com histórico da pessoa e fotos, obedecida a vontade da família e com o devido aval de seus representantes.

CAUSA PRÓPRIA/SUGESTÕES
Na enquete, por questões óbvias, não apresentei a opção de José Lacerda Paixão nem de seu irmão Pedro Lacerda. Ambos continuam esquecidos pela câmara municipal. O primeiro foi proprietário de grande parte das terras que hoje compõem o bairro em torno da Rodoviária. Não fosse a sua determinação de abrir seu sítio para a passagem de ruas, Araripina contnuaria estrangulada, com  terrenos baldios nesta promissora artérea da cidade. Portanto, alguma rua ou praça neste bairro deveria ser reservada para homenageá-lo. Por sua vez, Pedro Lacerda era o proprietário de terras na Torrinha  e no entorno da AEDA e CAGEPE. Quase todo aquele bairro que se formou entre a BB 316 e AEDA lhe deve homenagem, assim como a Torrinha. A velha estrada que se estende após o Cavalete em direção aos Sítios Torrinha e Torre Grande deveriam ser denominados Rua ou Estrada Pedro Lacerda. O senhor Andrelino, que cedeu parte de suas terras para a AEDA e estádio municipal, também é merecedor de justa homenagem. Assim como seu Mundico, recém falecido. Por tudo que fizeram, e sobretudo pelos bons exemplos, já estamos passado da hora de homenageá-los. Com a palavra, Tião do Gesso.
Advoguei em causa própria para destravar a lista. Mas lembrei de seu Guilherme Andrade, ou Guilherme da Madeireia, de seu Té, Sargento Rafael, Teotônio Pinto, Antônio Simeão, Zé Muniz, Zezito Muniz (o primeiro engenheiro civil de Araripina que foi diretor do DER), José Albino (músico que espalhou alegria durante anos nas décadas passadas), Antônio Nunes Alencar e seus irmãos Vicente e Sales, Osias Cavalcante, Chico Alvino (o homem que fazia aforamento de terras na Chapada do Araripe), Humberto Carvalho (tabelião), Zé Araújo (que cuidou do Dosão por longos anos). Cada um que tem parente ou amigo digno de homenagem, deve agora participar da discussão. As obras estão sendo construídas e logo serão concluídas. Não deixe que escolham equivicadamente pela maioria, muitas vezes adotando o critério do capricho, desrespeitando a própria história e fazendo prevalecer apenas a politicagem ou até mesmo vingança mesquinha.

ACABOU-SE A ESTAGNAÇÃO
Quando o lugar vive profunda estagnação, e nada de novo surge, comprende-se a falta de homenagens a seus antepassados. Mas não é o caso. Araripina voltou a entrar nos trilhos, recebendo obras de importância singular. É então chegada a hora de homenagear. Participe. A hora é esta. Depois que aprovarem as homenagens na câmara ou assembleia legislativa, qualquer reação será levada diretamente para o campo da deselegância.

LISTA DE SUGESTÕES
1) Seu Citonho, (Antonio Ferreira Alves Neto) alfaiate e instrutor que formou grande parte das costureiras de Araripina. Pai de Parcélio e Tantica.
2) João Capitão, ex-vereador;
3) Jaime Barreto, comerciante;
....

Nenhum comentário:

Postar um comentário