segunda-feira, 18 de março de 2013

2014: O que dizem por aí

Eduardo fará investida nas fronteiras do PMDB
DO BLOG DE JOSIAS DE SOUZA
 Nas próximas semanas, Eduardo Campos (PSB) se reunirá, em grupos ou separadamente, com pelo menos 18 congressistas do PMDB –12 deputados e seis senadores. Nessas conversas, testará o alcance do usucapião de Dilma Rousseff sobre a legenda do vice-presidente Michel Temer.
Entre os pemedebês do Senado, Eduardo dispensará tratamento diferenciado ao decano. Soube que Pedro Simon (RS) deseja falar com ele a sós. E deve procura-lo até o final da semana. Na sequência, em data a ser marcada, jantará na casa brasiliense de Jarbas Vasconcelos (PE). Além do anfitrião, vão à mesa os senadores Wladimir Moka (MS), Luiz Henrique (SC), Cassildo Maldaner (SC) e Ricardo Ferraço (ES).
Quanto aos pemedebês da Câmara, eles se organizam em caravana para visitar Eduardo Campos no seu quartel general, em Pernambuco. O governador não tem a pretensão de retirar de Dilma o tempo de tevê do PMDB. Falta-lhe munição para tanto. Seu objetivo é o de abrir palanques dissidentes.
Considerando-se os Estados de origem dos parlamentares, percebe-se que o PMDB busca uma alternativa a Dilma em pelo menos sete pedaços do mapa: Pernambuco, Bahia, Pará, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Nem só de PMDB é feito o assédio de Eduardo Campos. Nesta terça (19), o presidenciável emergente do PSB recebe um grupo de senadores de outras duas legendas governistas. Organizada por Armando Monteiro (PE), do PTB, a comitiva inclui Pedro Taques (MT) e Cristovam Buarque (DF), dois insatisfeitos do PDT. Se curiosidade fosse voto, Eduardo estaria eleito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário