domingo, 3 de fevereiro de 2013

A combustão espontânea e o gerador.

Algumas pessoas, talvez por imaturidade, acreditam piamente que surgiram por combustão espontânea, e que cresceram por autosuficiência, tornando-se o que são, ou acham que são.
Hoje, na política, costuma-se adotar o termo 'poste' para tipificar alguém de sorte que chegou ao poder indicado por algum padrinho forte. A presidente Dilma é o exemplo mais clássico. João da Costa foi o poste de Recife e Fernando Haddad é o novo poste de São Paulo. Todos postes petistas. Mas, convenhamos, todos souberam subir degraus e superar outros petistas para caírem na graça de Lula, que afinal, elegeu todos três e outros postes Brasil à fora.  Todos, portanto, tiveram métiro para se tornarem o poste de Lula, o que não significa dizer que têm ou terão méritos para governar.
Mas não devemos acreditar que o pai dos postes surgiu de uma combustão espontânea e cresceu por autosuficiência. Nem o fenômeno eleitoral Lula, nem outros fenômenos políticos mundo à fora se fizeram sozinhos. Foi preciso conspiração positiva superior à negativa, projeto de muitos, para que tais fenômenos se firmassem. Lula, por exemplo, passou anos em 'laboratórios' de primeira linha, sendo treinado para cada tarefa a ser desempenhada no sindicalismo e depois na presidência.
Então, o que dizer de projetos mirins, de folhinhas tenras que arrotam prestígio sem ao menos tê-lo e transbordam arrogância sem nada terem sido ou ainda conquistado?
Até para ser poste é preciso ter brilho próprio. Até para ser poste é preciso ter gente de confiança e lado. E para ter gente de confiança é preciso confiar em gente.
Padre Antônio Vieira disse o seguinte:  'Há homens que são como velas; sacrificam-se, queimando, para dar luz a outros". O problema é que até as velas  acabam-se, ou cansam-se e deixam-se apagar pelo vento.
Portanto, que todo poste aprenda a respeitar todas as velas, independente de seu tamanho. Mas, antes de qualquer coisa, todo poste precisa certificar-se de que já conquistou um gerador para chamar de seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário