segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Natal não deveria rimar com lamaçal

Tudo indica que o interventor de Araripina deixará a população urbana festejar o natal e ano novo debaixo de lama ou poeira, a depender das condiçõees metereológicas. Com uma semana de serviço de vinte homens com vassourão e pá na mão, algumas caçambas e duas pás carregadeiras, seria possível deixar a cidade brilhando na maioria das ruas, até porque o estrago já foi feito em grande parte da cidade pela Flamac. Ficou apenas o barro e a areia, que se misturam, por falta de recolhimento dos entulhos.
Se realmente quisesse sair com boa fama, o interventor Adalberto ainda mandaria dar um banho de lavanda na cidade, para celebrar o fim do seu 'reinado'. Mas não. Vai preferir entrar para a história como o administrador que deixou a população passar o natal com o pé no barro. As marcas/retratos provarão. Ficará, contudo, o interventor, na condião de ex-interventor, sendo obrigado a provar que os metros quadrados de 'vassourada' realmente foram dados nas ruas, conforme detalhar contrato com a empresa contratada para realizar a limpeza urbana. Com tantas fotos provando o contrário, será difícil encontrar imagens e testemunhas de que realmente varreu convenientemente a cidade. Sorte dele que existem as planilhas assinadas provando cada vassourada que foi realmente dada.

ALEXANDRE, O SORTUDO.
Com apenas uma semana de governo Alexandre Arraes terá entrado para a história como o prefeito que acabou lama e a poeira na cidade. Não precisará fazer quase nada. Apenas contratar vinte homens e usar algumas máquinas. Alexandre é um homem de sorte. Eleitoralmente falando, até a sujeira deixada nas ruas da cidade o ajudarão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário