quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Interventor de Araripina quer mesmo entrar para a história de uma forma esquisita

Conversando com diversas pessoas que estiveram hoje na prefeitura, inclusive com quem teria participado de reunião da Equipe Interventora, fiquei com a impressão de que o Interventor Adalberto Freitas Ferreira está mesmo determinado a entrar para a história de Araripina de uma forma bastante esquisita.
É dado como fato consumado que seus 'conselhereiros' conseguiram 'incutir' no mesmo que é mais importante pagar a dez ou vinte fornecedores e deixar sem salário os servidores efetivos e também contratados. Ou seja: Convenceram o homem de que é melhor evitar a pressão de dez fortes do que ouvir a chiadeira de mil fracos.
As páginas de história dirão o seguinte, sem paixão e sem desviar a verdade:
"Interventor do Estado em Araripina concluiu seu 'mandato' deixando a cidade suja e esburacada, a folha de servidores atrasada, esgotos estourados e muriçocas sem controle. Isto, depois de promover drástico corte na folha de pessoal e retirar gratificações de efetivos e comissionados". Com o seguinte acréscimo: "Até a festa de confraternização de fim de ano só aconteceu com a famosa vaquinha".

Há que se concluir: Há conselheiros e conselheiros. Até dia 31 o senhor interventor terá tempo de sobra para mudar o resumo da ópera, mesmo que seja apenas invertendo as prioridades. Pagar fornecedor e deixar sem salário o servidor é no mínimo sinal pouca sensibilidade.
Perguntar não ofende: Soa verdadeiro informar que Intervenção não rima com gestão"

Nenhum comentário:

Postar um comentário