sábado, 1 de dezembro de 2012

170% - 1 de aprovação

Você não pensa. Você não discorda. Nem eu, nem ninguém. O Brasil se transformou em pensamento único, em 'geleia pensamentosa'. Pelo menos é o que atestam todas as pesquisas. Podem esperar. Podem anotar. A crise se aprofunda, o Brasil mergulha no marasmo,  na pobreza, e a propaganda oficial conseguirá encobrir tudo com uma simples frase: 'País rico é País sem pobreza'. Basta isso para que Dilma atinja mais que 100% de aprovação, o que matematicamente é impossível.
O crescimento de apenas 1% do PIB em 2012 e os escândalos no escritório da presidência em São Paulo serão combatidos com um crescimento na popularidade de Dilma. Para isto não falta PIB. Para isto também não falta instituto disposto a fazer o trabalho sujo. Aguardem sem stress: Dilma 170% de aprovação. Claro! Ela apareceu na Europa ensinando como combater a crise de lá. A imprensa domesticada, toda ela, noticiou. A propaganda oficial informa que o governo federal enfrentou os males da seca. Vão transferir toda raiva e insatisfação do povo brasileiro na direção do senil que dirige a CBF e também dos pobres Carlos Alberto Parreira e Felipão, que distribuirão em partes iguais com os pernas-de pau da nossa seleção.
Estou começando a achar que somos todos burros, tanto quanto ou até mais que os 170% que aprovarão Dilma na próxima pesquisa.
Nós somos tão magicamente capazes, que até conseguimos separar a 'Dilma mãe do PAC' que empaca da Dilma que hoje governa e se livra do lixo que (ela própria) criou e entulhou, colocando agora  a sua tropa para transformar o 'Pai Lula' numa versão amaldiçoada do 'machão nordestino' que trai a mulher com uma vadia qualquer.
Algum estatístico deve inventar mecanismo tosco para nos salvar da burrice geral. Precisamos de alguém que levante a tese dos 170% - 1. Em tempo:  1, no caso aqui,  é número absoluto e já tem dono.  Lute para aumentá-lo, ou para torná-lo diferente do PIB Real.
Brincadeirinha! Somos todos inteligentes e bem governados. Pobre, atrasada, corrupta e sem jeito é a Alemanha. Burros são aqueles chineses, japoneses  e coreanos que invadem o mundo com os seus produtos de última geração.
O Brasil não se interesse em desenvolver e exportar carros, máquinas pesadas e produtos de informática por se tratar de coisa de 'baixo valor agregado' - por isso exportamos soja em grãos. Talvez você não saiba, mas 'estamos sós' no mercado global como fabricantes e exportadores de células-tronco artificiais salvadoras de todo e qualquer  mal, vacina contra a AIDS, aparelhos modernos de diagnóstico em 3D, enzimas potentes de combate ao envelhecimento e por aí vai. Se a propaganda governamental infla, eu também posso ufanizar e inflar.
Anime-se: Em outra frente, os pesquisadores da UNB acabam de anunciar o sucesso absoluto na criação de 100 clones de Lula e igual quantidade de Dilma. Vão acelerar o crescimento de todos para fazer cruzamento já em 2020. A cria desse cruzamento será chamada de Geração DilMula. Corrigindo o erro gráfico: DilLula.
A geração de políticos atual já é boa. A futura geração  está garantida e será ainda 'melhor'. Reclamar de que? De quem?
Brasileiro ingrato!

Nenhum comentário:

Postar um comentário