sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Sem pistas do secretariado


Muita gente entra aqui  esperando encontrar alguma linha sobre o secretariado que Alexandre Arraes anunciará em dezembro. Alguns se frustram e chegam a me perguntar sobre o assunto na rua, como se eu soubesse e não quisesse revelar, para preservar a única fonte, que é o próprio prefeito - Único a saber (?).
Não sei. Não ouvi. O que sei é o que o prefeito eleito informou em entrevista: "Será predominantemente técnico". 
Também entendi  o sinal que Ricardo Arraes deixou na página de Iveraldo Nascimento, em comentário a uma postagem feita pelo jornalista  no Facebook.
Iveraldo postou: "Gosto de apresentar os meus programas de rádio, mas quando consigo levar ao ar um tema que realmente interessa e com um entrevistado que sabe discorrer sobre o assunto é bem melhor. A entrevista que fiz com DADIN (CISAPE), foi muito boa. Ele é daqueles cidadãos que realmente ajudam. Parabéns, DADIN!"

Ricardo Arraes comentou:
" No nosso governo a meritocracia vai prevalecer sobre a falta de produção e capacidade de realizar".


Há um consenso na rua: A primeira-dama Roberta Bertini vai assumir pasta relevante no governo municipal, e a prova disso é que seu sucessor no DETRAN já foi até escolhido. Bruno, conhecido de muitos pela eficiência e agilidade, substitui Roberta. As apostas mais fortes são: Roberta na Saúde ou na Assistência Social. 
Alexandre Arraes, em entrevista, antecipou que o secretário de saúde que for escolhido terá que ir à capital fazer um treinamento com a equipe do Secretário Estadual Antônio Figueira, um dos homens que mais entende de saúde pública e de SUS no País. Ou seja: O secretário poderá ser um 'não muito entendido'.
Alexandre poderá contrariar os apostadores de rua e nomear a esposa como braço forte, para a Chefia de Gabinete ou, se for o caso, para as finanças. Somente para as finanças ela precisaria de suporte técnico. Para o gabinete ela dispensaria até mesmo assistência, pois faz política muito bem. 
O único risco que Alexandre correria neste caso seria o mesmo que correram e pagaram caro Valdeir Batista e Lula Sampaio, ao nomearem cunhado e irmão, respectivamente,  para a pasta mais próxima ao gabinete do prefeito. 
Para quem não entende do ramo, ocorre o seguinte: Quando o gabinete nega e o auxiliar não é homem próximo por laços de família ao prefeito, fica ainda uma esperança e nunca uma negativa do prefeito. Quando este assessor que nega é a segunda pessoa do poder, o desgaste é o mesmo que ocorreria se o próprio prefeito viesse a ser encontrado e negar o pedido. Contudo,  nunca significa dizer que o assessor/parente é incompetente, e sim que ele representa a frustração direta de um sonho. Sabemos todos que a prefeitura dá um sim e dez nãos. Façam as contas.
Todo governante bem sucedido coloca a pessoa mais humilde, entre aquelas de sua confiança, para ser seu ouvido na ante-sala. Simples. Mas também sorridente, feliz e bem resolvida pessoalmente e sobretudo capaz de ouvir queixas sem tirar a razão do interlocutor nem se aborrecer. Só ouvir e processar, fazendo aquilo que seu Né Ramos ensinava: "Conhecer e conservar".
Alexandre tem a cartilha boa completa. É provável esteja em sintonia com os 'apostadores de rua' e que coloque Roberta justamente no lugar de dizer sim, e de fazer caridade, que é a Assistência Social, onde muitos técnicos estão sempre à disposição para fazer um bom trabalho sem reivindicar reconhecimento político da população. 
As assistentes sociais, em suas conferências, tentam evitar esse tipo de escolha. Mas, se Alexandre deu a entender que vai fazer governo essencialmente técnico, precisará fazer política onde faz caridade. Talvez por isso as ruas andem espalhando que Roberta vai ser a mulher forte da 'caridade' municipal. Justamente para transformar o sim em apoio popular e o não em esperança. 
Que fique claro: Estou 'chutando' com base nos boatos de rua e na conjuntura, mas vejo que a atual secretária, Fernanda, está em sintonia com a equipe que montou e que por isso é forte nas apostas.

OUTROS BOATOS DE RUA
Maria Ramos na AEDA ou Educação, Alexandre Laje na saúde (teria  recusado pelo tamanhinho do salário e tamanhão do prejuízo financeiro que sofreria). Mais não ouvi. Ouvi mais sim, mas sem nexo.
Comentário: Maria Ramos foi convidada para dirigir a AEDA no início dos seis meses de Alexandre, mas agradeceu o convite informando que tinha um compromisso de não abandonar Gerôncio no seu último ano de mandato como prefeito de Trindade. Agora está livre.

SEI DOS RISCOS: Tudo que eu postar aqui neste sentido será mal entendido por muitos. Só o fiz para não passar a ideia de que estou fugindo do assunto. A verdade é: Não sei mesmo. O que falei é o que as ruas já falam sem pedir segredo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário