segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Caldo de tudo que não presta numa garrafa: É amostra da água de Lagoa do Barro

Hoje, na Secretaria de Desenvolvimento Rural, uma garrafa contendo amostra da água de Lagoa do Barro passeava nas mãos de Danda Simeão e Dr. Simão. O destino da amostra é o laboratório. Querem saber se a mesma ainda é própria para consumo humano.
É tarde para saber isso e também desnecessário. A cor do troço chamado de água mais parece uma calça de veludo verde daquelas que as mulheres usavam nos anos 70.
O resultado vai fazer lembrar aquela piada sobre exame de urina que o sujeito  misturou com fezes  e óleo de motor para testar o laboratório. Com um detalhe: A água também contém níveis elevados inseticidas, fungincidas e pesticidas. Além de sumo de cueca dos banhistas.
Dr. Simão, ao ver Danda passear com o litro de água para análise, relembrou que já viu embalagens de veneno boiando sobre as águas da barragem de Lagoa do Barro como se fossem barquinhos.

A VERGONHA
Água contaminada existe em todo lugar. Talvez o Rio Tietê seja tão ou mais contaminado que a água de Lagoa do Barro. A diferença, ou a vergonha, é que água do açude araripinenses está sendo servida pelas operações conjuntas que entregam água aos sertanejos de Araripina.  Sem que ninguém reaja, diga-se de passagem. E ainda dizem que o interventor é DURÃO.

A MEDIDA correta seria mesmo interditar Lagoa do Barro, informar às autoridades dos poderes estadual e central que o município não dispõe de um único manancial hídrico para, no mesmo expediente, EXIGIR máquinas perfuratrizes para construir poços ao longo do leito do Riacho São Pedro, onde a vazão é boa em profundidades superiores a 80 metros. Isto sim é ser DURÃO em benefício do povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário