quarta-feira, 14 de novembro de 2012

AR DA GRAÇA: O interventor, os médicos que ameaçam parar e o público em geral

Invertendo Lady Kate: "Gramour ele tem, só lhe falta-lhe a grana"

Não estive presente. Por esta razão, faço minhas as palavras dos outros. E faço suas as fotos roubadas de Portnalli.
O fato é que o interventor mostrou o ar da graça. De acanhado, ele não tem nada. Quem estava acanhada era a comunidade, que passivamente esperava respostas sem querer mostrar a cara. Como de costume, muita gente 'arrancou cobra" com a minha mão. Como a briga não é no tapa, futuquei a onça com vara curta antes de qualquer um outro. Ontem foi o dia da festa: quase todo mundo apareceu na Câmara para 'apertar' o homem. Menos eu, que sou desinformado. Antes, ainda durante a tarde, o mesmo Interventor Adalberto Freitas Ferreira concedeu entrevista aos rdialistas da cidade. Aparentemente, calou a turma com números. Foi o que consegui colher junto a amigos que me anteciparam alguns pontos ainda ontem, os quais deixei para que a turma 'privilegiada' de rádio desse os furos.

Resumo da Ópera
Araripina vive de aparências. Está como aquelas coroas que vão às festas com roupa chique fedendo a naftalina, comprada em boutique de grife, mas ainda pendurada no vale. Araripina nem bem vestida está. Além de feia, suja e fedorenta, deve 70 milhões somente na 'loja' do INSS. Se fosse cliente pessoa física, não teria crédito  na bodega de Zé Coelho, que vende de olhos fechados ao pessoal do Minador.
Chamam a prefeitura de viúva. Pois o Tenente Coronel nem parece gostar de se deitar com ela. No jargão popular, 'bota é pra lascar na imagem da coitada" - Falida e velhaca. Podem completar.

OS MÉDICOS querem salários atrasados. A prefeitura, por culpa do entra e sai que antecedeu a eleição, sente dificuldades para pagar. Caso o interventor não fosse pessoa do governador e assinasse seus atos em papel oficial do Governo, talvez já tivesse quitado o débito sem observar que os contratos venceram em abril e não foram renovados. Também poderia pagar sem verificar se o médico trabalhou. Mas o interventor representa aquele que o indicou para a missão e não quer sair com arranhões que depois compliquem mais gente no TCE. Os médicos, que agora ameaçam parar as atividades e jogar mais carga nas irmãs boazinhas do hiospital Santa Maria - onde eles também atendem ganhando quase nada do SUS - terão que recorrer aos ex-secretários para atestarem que nos Postos de Saúde e PSFs trabalham. É claro que todo mundo trabalhou, pois em período de campanha é quando mais se trabalha. Mas ninguém pensou no papel. Agora terão que recorrer ao 'atesto' de quem viu e cobrou para poder pensar em receber.
Se a ameaça de greve for levada a sério, segunda-feira não teremos médico. Neste momento, surge uma pergunta inoportuna: "E temos médicos trabalhando em Araripina?". Temos sim! Eles atendem nos bairros, povoados e distritos. É a chamada Estratégia de Saúde da Família (ESF). Muitos também trabalham em Ouricuri e clínicas particulares para completar o salário digno. Mas quem discordar que é preciso boa remuneração para médicos que procure saber quanto se gasta para formar um filho em medicina.     Os médicos vão parar? O espaço está aberto para que eles mesmos respondam.

Corte de pessoal
Lula colocou os dele e Alexandre também. O Ministério Público interviu e fez lá suas exigências, mas sem apontar os pescoços a serem cortados. Resultado: No entra e sai de prefeito, ficou todo mundo pendurado na viúva.  Eram muitas folhas com o entra e sai. Laranja ou abacate? Quem sabe?    Mas o fato é que, tendo Alexandre sido vice de Lula e ambos gozarem de prestígio junto ao mesmo público-eleitor, a turma contratada elevou o gasto com pessoal para espantosos 70% da Receita Corrente Líquida. Quando um demitia, o outro reassumia no dia seguinte e recontratava. Era eleição. Todos sairam perdendo nesse aspecto. Setenta por cento. Era esse o comprometimento com salário que a prefeitura chegaria em 31 de dezembro. Setenta por cento de gasto com pessoal e setenta milhões de dívida só com o INSS. É o retrato da moribunda 'paciente' cujos médicos querem abandonar na UTI imóvel. O interventor não é candidato, nem veio para ficar. Também não sabe quanto esse pessoal demitido gastou e ainda não pagou contando com o salário atrasado e não recebível. Por isso, prevendo que poderia responder a vários processos por descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, e talvez, prevendo que um dia poderá sentir saudade de política e querer se candidatar a algum cargo eletivo, DECIDIU: "CORTE-SE E CUMPRA-SE A LRF!
A caneta ficou quase sem tinta de tanto exonerar. Os mais exagerados falam numa lista de 350 só no dia de segunda-feira.
No meio dessa plateia que foi à câmara ontem à noite deve ter gente que caiu no corte e gente que escapou. Também tem médicos. Resta saber se a partir de segunda-feira os veremos nos Postos de Saúde e PSFs ou se os veremos em passeata de protesto em frente a prefeitura. Araripina aprendeu a protestar? Estou pasmo! Acho que este blog está fazendo escola. Será marcante ouvir: "Médicos unidos, jamais serão vencidos". Ou aquele outro jargão que o PT inventou: "Médico na rua, a luta continua!"
Estejam eles (os médicos) onde estiverem, o Meu Araripe vai noticiar. Afinal de contas, fontes eu tenho. Só não tenho  megafone.



É provação. É freio de arrumação. Araripina precisava mesmo passar por isso. Por mais que um de nós, ou este blog, ou seu editor, ou qualquer pessoa sensata tentasse alertar, tudo soava alarmismo, sensacionalismo, ilusionismo. O povo precisava fazer escolhas por livre e espontânea enganação.
Agora falta o golpe final para virar essa página. Falta o ato simbólico ou emblemático para a refundação da cidade. As paredes do muro do Clube Arca começaram a cair. Falta alguém terminar o serviço legalmente para que tudo recomece no zero na nossa falida capital do gesso.
Vamos refazer com força e determinação. E com humor também, pois os carrancudos sempre estiveram na outra paróquia. Ao trabalho, Araripina!
Bravo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário