segunda-feira, 5 de novembro de 2012

800 mil bois mortos ou para morrer e Dilma nem pestaneja. Vai discutir o problema na capital do berimbau.

Quem se habilita a amarrar Dilma à força e trazê-la num helicóptero para ver o drama de perto?

Já morreram ou estão para morrer, no polígono da seca nordestina, 800 mil cabeças de animais bovinos. Enquanto isso, a Petrobrás guarda suas máquinas perfuratrizes enferrujando, ou em busca de mais uma reserva de petróleo no pré-sal, aquelas mesmas que só servem para encobrir crises geradas por falcatruas dos políticos, e que num horizonte de dezenas de anos não serão exploradas por falta de viabilidade financeira e de tecnologia segura.
Dilma vem discutir o problema da seca na capital do berimbau, bem longe do problema real. Deveria ser amarrada à força num helicóptero e trazida contra a sua vontade para passear pelas estradas do sertão, que mais parecem cemitérios de bois.  Depois, ser obrigada a beber um copo de água barrenta bem quente.
Só assim trocaria de planos: Em vez de esmolas, a conclusão de adutoras e da Transposição, a construção do Canal do Sertão e integração de bacias do Centro Oeste com o Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário