quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Isto é aviso: Eduardo Campos presidente, Tadeu Alencar governador


Meu Araripe já cantou a pedra faz tempo. Quem entra aqui desde que 'nascemos' sabe que Eduardo Campos é candidato a presidente. Quem começou a entrar a partir de 2012, sabe que seu candidato a governador é Tadeu Alencar. Nós informamos antes de todos os blogs, jornais e revistas do País. Minha fonte foi a mais pura e verdadeira que existe. 
Aquele pessoal que 'vasculha' o blog atrás de outros temas pode procurar as sucessões estadual e nacional que acha.

Leia Inaldo Sampaio logo abaixo. Ele não está dano notícia; está orientando as bases, como quase sempre faz em sua coluna. Quem quiser pular fora do barco já pode arranjar o motivo. Por falar nisso, o que querem petistas colados com solda amarela no governo socialista?


Coluna Fogo Cruzado – Folha de Pernambuco – 25 de outubro
Para o ex-deputado Ranilson Ramos, secretário-geral do PSB pernambucano, não há razão para Dilma e Lula estarem magoados com o governador Eduardo Campos, se é que essa versão é verdadeira, por conta da vitória de Geraldo Júlio para prefeito do Recife. Tanto a presidente como o seu antecessor só teriam sido derrotados na capital pernambucana, diz ele, se o deputado Daniel Coelho (PSDB) ou o ex-governador Mendonça Filho (DEM) tivesse sido vitorioso, o que não aconteceu.
De acordo ainda com sua opinião, o cenário do Recife pode muito bem ser transportado para o plano nacional com o mesmo resultado. Ou seja, Lula terá que render graças a Deus se a disputa pela presidência da República em 2014 se der entre o PT e o PSB. Porque esses dois partidos são seus aliados, estão no campo democrático e alinhados com o centro-esquerda. Derrota o ex-presidente só amargaria, afirma, se o futuro presidente for Aécio Neves ou outro nome qualquer do PSDB.
Ranilson faz uma afirmação de risco como suposto conhecedor da “alma” do governador de Pernambuco. A seu ver, só quem não conhece Eduardo pode imaginar que ele seria capaz de fortalecer um “projeto político pela direita”, ou seja, com Aécio Neves na cabeça da chapa. À moda do avô, Miguel Arraes, ele fará tantas alianças à direita, quantas forem necessárias, desde que a hegemonia do bloco pertença ao PSB. Ou, como diria Leonel Brizola, desde que a caneta seja dele.
Sucessão 1– Ranilson Ramos não vê problema para a Frente Popular se na sucessão estadual de 2014 se os principais partidos que a compõem lançarem candidato a governador. Ele acha que o PSB deve ter o seu candidato, assim como o PT, o PTB e outros que porventura desejarem.
Sucessão 2 – Na eleição para prefeito do Recife, essa também foi a posição do secretário-geral do PSB: a defesa do lançamento de “múltiplas candidaturas” pela Frente Popular. Foram lançadas apenas duas (Geraldo Júlio e Humberto Costa). Mas ele defendia pelo menos quatro".

Nenhum comentário:

Postar um comentário