sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Defesa da honra e campanha.

Usei  postagem anterior para defender a minha honra. Quando acabei de redigir, ler e refletir, percebi que estava advogando em causa própria aqui no blog. Mas não tive outra alternativa.  Muitas  pessoas que me conhecem à fundo e gostam de mim me pediram para fazê-lo. Na verdade, me tiraram (pelo telefone) da minha caminhada eleitoral para vir aqui responder a alguém  que distribui ataques à minha honra, em virtude da minha bem-sucedida campanha e sobretudo em virtude do que pode representar para Araripina um mandato parlamentar como se espera e é possível.
Diferente de outras pessoas, eu não tenho rádio para me defender. Também se tivesse, não poderia fazer uso desse instrumento,  pois a Lei veda e é clara a esse respeito.
Acordei cedo hoje para mais uma vez cumprir com a palavra de atualizar o blog. Terei que cumprir extensa agenda, como todos os dias. Mas, como tenho leitores em várias partes do País e até fora dele, me senti na obrigação de fazer este esclarecimento.
Não se preocupem com esses ataques. A minha família eu preparei para isto quando decidi entrar na disputa. Até a mais nova foi devidamente preparada para enfrentar situações desse tipo. Todos já foram informados de que dez  anos da minha vida de solteiro eu dediquei ao jornalismo investigativo e combativo. Meus três filhos conhecem à fundo todos os detalhes  dos duros tempos de combate  ao 'regime'  local. Tenho os jornais em arquivo e as peças processuais para apresentar-lhes, e isto faço de vez em quando, fora desse período eleitoral, quando o tempo se reduz.
Fora da minha casa, todos me conhecem. Os mais antigos sabem com quantos anos comecei a trabalhar, voluntariamente, e estudar ao mesmo tempo.  Os mais novos sabem o esforço que faço para levar uma vida digna.
Fui secretário municipal duas vezes. Uma de governo e outra de planejamento. Não há um só arranhão moral ou ético; não há uma única anotação do Tribunal de Contas  para que, sequer, eu desse algum tipo de explicação.
Sei que este blog incomoda muita gente. Tenho consciência de que o lugar é pequeno para o destemor e independência com que aqui trato as questões relevantes que vocês se acostumaram a ler. Sabia também que eu seria alvejado nesta campanha, como estou sendo - mas não dava mais para adiar. Olho para o 'exército' aliado e encontro muitos amigos solidários, mas entendo que outros estão em busca da mesma coisa: Uma das quinze cadeiras.
Andando em meio à multidão, entrando em estabelecimentos comerciais e nas casas de muitos, sinto a sinceridade dos que me encorajam abertamente e também dos que apenas levantam o dedo em sinal de positivo, assustados que estão com a insegurança administrativa, jurídica e sobretudo humana que lamentavelmente marca os dias atuais.
Agradeço cada gesto de apoio, cada mensagem de carinho, cada abraço e cada aperto de mão. A soma disso é o combustível que me move. O complemento desse combustível vem das causas inadiáveis que assumo o compromisso de abraçar.
Saibam, entretanto, que o crescimento da nossa campanha vai provocar reações variadas, sempre desumanas e difíceis de combater. Não se enganem. Mais ataques vão sair da escuridão.
Enquanto o guia eleitoral não for iniciado, o submundo tentará me intimidar. Quem não respeita as Leis é capaz de tudo. Resta provado.
Uma campanha eleitoral para ser bem sucedida depende de muitos fatores. Um desses fatores é a existência do exército de conscientes, esclarecidos, iluminados. Com isto eu conto. É com isto que querem acabar. Entendam e estejam preparados. Muita água ainda vai rolar.
Eu alertei  há uma semana que a campanha iria de fato começar. Minhas fontes já emitiam esses sinais. Está aí. As primeiras fotos, sejam repugnantes ou não, sejam inusitadas ou não, estão soltas, para incredulidade geral. É só o começo.
Este blog  teve a coragem de alertar a militância; teve a consciência necessária, ao advertir que nenhum 'mais exaltado' ou mais 'apaixonado' se jogasse de corpo e alma  em vibrações e comemorações descabidas em virtude do entra e sai na prefeitura. A alguns deixei de fazer visitas, mesmo na hora em que o 40 estava de 'cima', para não prejudicar politicamente (em seus postos), justamente por entender que a situação não era consolidada nem definitiva, como ainda continua não sendo, embora alguns já tenham saído por aí, desesperadamente, achando que conquistaram um império eterno e que por isso podem usar o estoque de maldades que carregam na alma.
Prometi a mim mesmo não perder a paciência com ninguém nesta eleição. Estou conseguindo e vou assim até o fim. O oposto é o que querem e o que tentam em vão provocar.
Não darei resposta direta a ninguém. Meu objetivo é outro, é nobre. Vou lutar por um mandato para defender os que não têm voz, vez, nem espaço, até mesmo pelos desprovidos de quase tudo, inclusive de acesso a este ou a qualquer outro blog.  Vou lutar por um mandato para combater injustiças, para defender os servidores municipais, para apresentar ideias e transformar em projetos aquilo que eleve Araripina, para que a renove, a transforme. Farei tuto de forma a elevar o nível da política local. É o meu compromisso.
Agradeço às inúmeras manifestações de apoio. Não citarei nomes como solicitado, para evitar que o calor do 'debate' promova exposições desnecessárias. Já conheço o sol do dia seguinte. Não esqueçam que fui e sou combatente, que durante dez anos fui voz quase única a se levantar, e que  dividi com poucos o 'soro salgado' de ser oposição combativa, de fazer jornal com coragem. Não se esqueçam dos alertas que fiz no passado e levem tudo isso em conta na hora de se protegerem e também na hora de oferecerem proteção. Portanto, já sou acostumado a passar pelas cobras sem sapato. Mas preciso de você ao meu lado, do jeito e da forma que melhor possa oferecer apoio, mão amiga. A campanha está só começando. Ainda não deu seis da manhã e a minha jornada já começou faz tempo. Faço parte de um exército. Muitas são as minhas atribuições. Olhem com atenção e sobretudo orem quando eu der as costas, pois é nesta hora que a atenção precisa ser redobrada.
Bom dia a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário