sábado, 21 de julho de 2012

Mudocracia

Os candidatos a vereador estão exercendo todos os direitos inerentes a uma mudocracia. Mudocracia que vem  de mudo, ficando claro. Somente  um candidato está se beneficiando da condição de  líder que exerce o pai. Os demais estão  fazendo mímica no palanque. Não é culpa de Alexandre. Por ele, o microfone seria aberto aos 54 candidatos de sua coligação.

SINGELO PROTESTO
Para que vocês entendam e também  sintam na pele o que sentem todos aqueles candidatos sem direito a fala, farei um protesto singelo. Não postarei aqui nem no facebook uma única foto da carreata de ontem.  Repito que Alexandre Arraes não tem culpa e nem deve se envolver nesse problema. Ele não pode desgostar fazendo escolhas ou seleções de oradores. Isso é missão da coordenação, que ainda não convidou os candidatos para juntos enfrentarem o problema  e chegarem a um denominador comum.    

OS BENEFICIADOS
Não interessa a alguns vereadores ou candidatos novatos falar em comício. O pai falando  pelo filho ajuda a eleger quem fica mudo na sua coligação. É o caso de Luciano Capitão e João Dias, que são ajudados pelos votos de Bringel. Portanto, votando em  Bringelzinho  ajuda-se a eleger não ele penas.  Ajuda com as sobras a eleger Luciano Capitão, João Dias, Humberto  Filho e até  mesmo a novata Cristiane Moura. Este é o X da questão.  

OS PREJUDICADOS
Todos  os candidatos da Coligação Renovar é Preciso, inclusive Ronaldo Lacerda; todos os candidatos do partido de Valdeir Batista e todos os candidatos do PC do B que estão com Alexandre Arraes. Todos, invariavelmente, saem no prejuízo por não poderem falar nos comícios grandes e assim serem comparados, julgados e escolhidos ou descartados pelo eleitor.

RENOVAR É PRECISO
Também não é culpa de Alexandre Arraes o que foi feito ontem na apresentação dos candidatos da Coligação Renovar é Preciso, quando se passou em ‘carreira’ para apresentar os nomes do PHS  e depois quebrou a coligação em três, voltando a ser apresentada de forma fracionada. Apenas a título de reparo, de informação, a composição da Coligação RENOVAR É PRECISO é: PR, PMDB, PHS e PSD. É a maior coligação em número de candidatos. 

O TEMPO DE RÁDIO VEM AÍ
Apesar dos pesares, apesar da falta de espaço para que os candidatos se apresentem e tentem convencer por seus próprios méritos, existe uma coisa chamada GUIA ELEITORAL, TEMPO DE RÁDIO.
O PMDB dispõe do maior tempo  entre todos os partidos. Em Araripina, o partido é presidido por Ronaldo  Lacerda. Só ele é candidato pela sigla. Em tese, só ele deveria usar seu tempo. Mas isto não acontecerá. Ele usará, mas será generoso e correto com os demais candidatos da sua coligação. Depois dos primeiros recados, chamará seus  companheiros para dizerem por que são merecedores de receber  o voto consciente do povo araripinense. Já o tempo que o partido dispõe para a majoritária será todo usado por Alexandre Arraes. Dele, vereadores de nenhuma outra coligação poderão fazer uso.

AINDA BEM que os deputados constituintes tiveram a brilhante ideia de criar o programa eleitoral gratuito de Rádio e TV. Foi uma forma eficiente e justa de dar oportunidade a quem quer começar a pregar a renovação e não tem pai forte na política. Jamais  o presidente Lula teria chegado ao poder sem esse tempo, tendo que enfrentar a chibata da Rede Globo, que protegia Fernando Collor ou qualquer outro que apresentasse ‘credenciais’ para defender o sistema.

PENSATA
Não é sequer razoável pensar que o público ficaria esperando Alexandre Arraes falar, caso fosse concedido o direito ao microfone a todos os candidatos a vereador. Encontrar a fórmula que atenda a todos os interessados é  missão da coordenação, que não deve chamar o candidato a prefeito para meter a colher  nesse prato indigesto, até para não desgastá-lo. Contudo, o tempo vai passando. Já se passaram a Convenção e a Inauguração do Comitê. A quem interessa a MUDOCRACIA? Quem não estiver preparado para falar e convencer o eleitor que vá procurar outro ramo.

JOGO TRANSPARENTE
Este, meus amigos, é o único  problema enfrentado pela coalizão de forças que apoia Alexandre. Espaço para candidato a vereador falar é o único problema existente. O resto é céu de brigadeiro.

TRANSPARÊNCIA
Estou tratando publicamente deste assunto porque prometi ser transparente em tudo. Não vou aqui, por nenhum motivo, razão  ou circunstância, esconder ‘elementos’ desta eleição apenas porque participo diretamente dela. A eleição passa e o blog fica. Lutarei para que também fiquem os leitores. Por outro lado,  não permitirei que a política mude o meu jeito de ser.  Assim nasci e cresci; assim permanecerei sendo. Ser transparente é o meu calo.
Estou aproveitando o período e suas conturbações, seus conflitos de interesses, e suas variantes, para preparar a base de um livro de sociologia, mesmo não sendo sociólogo. Não versará sobre dinastias. Isso eu garanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário