segunda-feira, 2 de julho de 2012

Mato a cobra e mostro o pau: Eduardo Campos é candidato a presidente e precisa eleger o prefeito da capital

Leia a postagem abaixo e lembre do que este blog falou em 2010. Eduardo Campos era candidato a presidente desde aquela época e o plano foi traçado bem antes, por ele e por Aécio. Minhas fontes para assuntos dessa magnitude estão em São Paulo e Brasília, e nunca em mesa de bar. Minha fontes são pura e de água limpa e confiam no meu caráter e compromisso com a ética.
Agora leia Inaldo Sampaio falando, com dois anos de atraso, o que você já sabia:

"Patrono da candidatura de Geraldo Júlio à prefeitura do Recife, o governador Eduardo Campos não tem dúvida de que ele irá ao segundo turno. Mas não pretende economizar esforços para liquidar a fatura no primeiro. Se Geraldo chegar ao 2º turno com Mendonça Filho, Humberto Costa o apoiará. Mas se a disputa final for com o próprio senador, o destino dos eleitores do DEM, PPS e PSDB é imprevisível. Tanto pode ser um voto “anti PT” como também “anti Eduardo Campos”.
Daí o seu esforço descomunal por uma vitória no 1º turno. Ele se compôs inicialmente com o PMDB por meio do senador Jarbas Vasconcelos, tentou a retirada da candidatura de Daniel Coelho por intermédio de Sérgio Guerra, esforçou-se para atrair o PPS usando como canal o ex-deputado Raul Jungmann e deu ainda os primeiros passos para afastar Mendonça Filho da disputa. Tudo que ele não quer é ser surpreendido por uma derrota, o que seria ruim para sua imagem nacional.
Afinal, o governador é candidato a presidente da República e precisa de uma vitória na capital do seu Estado. Ele sabe que vai enfrentar um adversário poderoso, que é o senador Humberto Costa, malgrado o PT encontrar-se dividido nessas eleições. Os petistas têm base social nos bairros populares, uma militância para lá de aguerrida e a exclusividade do uso da “grife” Luiz Inácio Lula da Silva. Tudo isso será confrontado com a popularidade do governante mais bem avaliado do Brasil."

VOLTA O MEU ARARIPE
Este blog também informou, em 2010, que a aliança PT-PSB tinha um prazo de validade escrito no rótulo: junho de 2012. Está provado.


Agora leiam o que diz Magno Martins, outro que chegou bem depois do Meu Araripe na fonte da notícia:
Aécio no PMDB - Soube, ontem, que após as eleições, haverá um movimento de recriação de um novo PMDB, cuja principal adesão seria o senador tucano Aécio Neves, formado também pelos históricos e pela banda governista descontente com a forma e o tratamento dispensado pela presidente Dilma.



Aliança com Eduardo - O novo PMDB ressurgiria com a intenção de selar uma aliança com o PSB para embalar o sonho do governador Eduardo Campos de dar um voo nacional em 2014. O líder socialista já percebeu que com o PT não irá a lugar nenhum, daí a razão de ter rompido com o partido no Recife. Os passos de Eduardo rumo ao Planalto não monitorados pelo ex-ministro José Dirceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário