domingo, 22 de julho de 2012

Aliados começam a criar briga entre Lula e Dilma

Para não ficar a reboque de Lula na definição do cenário para 2014, presidente articula eleição de prefeitos aliados
Dilma com o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Dilma com o ex-presidente Luis Inácio Lula da SilvaRicardo Stuckert / Instituto Lula
Até bem pouco tempo atrás, a presidente Dilma Rousseff deixava os aliados de cabelo em pé por sua falta de apetite para a política eleitoral. Mas desde que os atores das eleições de outubro e de 2014 começaram a se movimentar, ela tratou de se colocar. E vem ocupando cada dia mais espaço para não ficar a reboque do ex-presidente Lula na articulação e montagem do cenário que terá desfecho daqui a dois anos,com sua reeleição ou com a volta de Lula.
Acendeu a luz amarela no Planalto a última pesquisa de opinião pública mostrando que Dilma está muito bem perante a população, mas muito mal com os 14 partidos da base. Aliados dizem que não há conflito entre Dilma e Lula, que eles tocam de ouvido a mesma sinfonia. Mas o que se vê agora é que enquanto Lula toca tuba, atropelando e partindo para cima para se impor, a presidente toca violino, afagando os atropelados pelo ex-presidente.
Aparentemente, Lula e Dilma emitem sinais contrários na discussão e montagem dos palanques para as eleições municipais deste ano. Enquanto ele se estressa com aliados, ela os chama para jantar no Alvorada. Lula morde. Dilma assopra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário