segunda-feira, 9 de julho de 2012

Eduardo Campos vira figura nacional e manda alguns avisos ao PT

eduardo campos - foto Raul Buarque-SEI
A Folha de São Paulo deste domingo publica uma longa entrevista do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, da qual se destacam os seguintes trechos:
I- O PT cria mais problemas para a presidente Dilma Rousseff do que o PSB.
II- O PSB pretende apoiar a reeleição de Dilma em 2014, mas não será satélite do PT. “Não é nossa história nem nossa política”.
III- O PSB virar inimigo oculto do PT (por causa das disputas no Recife, em Fortaleza e em Belo Horizonte) chega a ser ridículo.
IV- O PT esquece que se aliou a Maluf, em SP, e a Gustavo Fruet (PDT), em Curitiba. Nesta última, contra o candidato do PSB, que é o atual prefeito Luciano Ducci (PSB).
V- Não vamos fazer o jogo dos querem afastar Dilma dos que têm identidade com o governo dela.
VI- Lula indicou Fernando Haddad (PT) para prefeito de São Paulo e o PSB foi o primeiro partido a apoiá-lo.
VII- Quando Erundina deixou a vice de Haddad, por discordar da ida de Lula à casa de Maluf, o PSB liberou o petista para convidar outra pessoa (ele chamou Nádia Campeão, do PCdoB).
VIII- Preza muito a sua relação com Lula, que o fez ministro de estado e ajudou muito Pernambuco como presidente da República.
IX- Acha que o PT ainda tem fôlego para passar mais quatro anos na presidência da República, a exemplo do PSDB que governa SP há 16.
X- Não se deveria jogar Dilma na eleição municipal. Em Belo Horizonte, compreende a ação dela em favor de Patrus Ananias (PT), “como ele compreende a minha articulação no Recife (em favor de Geraldo Júlio)”.
(Do blog de Inaldo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário