quarta-feira, 4 de julho de 2012

De que lado você vai lutar?


A luta já começou. Alguns já tombaram, empurrados que foram pela força bruta do sistema. Estes se preparam menos para o combate. Outros tombarão. Estes se prepararam um pouco mais. Uns continuarão lutando até o fim. Estes se preparam o necessário. A conquista final dependerá de você, de cada um e não de um só.
De que lado você está?
Você está ao lado dos que continuam em berço explêndido?
Você está ao lado dos que aglomeram agora, transformando-o em apenas mais um, para esquecê-lo depois, no extato instante em que as cortinas se fecharem e as luzes da democracia se apagarem por mais quatro anos?

Ou você vai trilhar um caminho diferente, de soberania, de altivez, de afirmação, de fortalecimento do caráter e da personalidade?

Você escolhe.
Muitas são as opções. Muitos são os caminhos.
Há os que pularam do berço logo cedo, recebendo de imediato o abraço confortante dos pais e o abraço espinhoso da vida dura, tomando em seguida o seu rumo com as próprias pernas, usando apenas e tão tomente duas armas: o estudo e o trabalho. Sem padrinhos, sem carteiradas, sem patronos, sem facilidades. Apenas lutando.
Está posto o desafio. Cada um terá a chance de provar que superou os medos e abraçou as nobres causas, fugindo da insistente tentação de bajular os fortes e esquecer de si mesmo, renegando a condição de humilde e renegado - não por engano.
Que homem ou que mulher é você? O caminho que tu escolher te dará esta resposta, e não a roupa que tu escolher para se fantasiar de militante.
À luta os que são fortes por dentro. A guerra já começou. A rua e os campos estão abertos. Falta apenas tu pegar a tua arma de cidadão e ir em frente, sem se abater, sem se corromper, sem se furtar, sem olhar para trás em obediência ou reverência aos que oprimem.
Ser leal, fiel e correto não equivale a ser submisso e nulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário