terça-feira, 31 de julho de 2012

A campanha, finalmente, vai começar.


Nada do que você viu até agora pode ser considerado campanha. Não da forma que Araripina está acostumada a duelar.
Mesmo que haja uma diferença elástica em favor de um dos lados  - Não podemos dizer para qual em virtude da legislação eleitoral -, está claro que o lado mais fragilizado na aceitação popular vai reagir, ou pelo menos tentar, obrigando a militância contrária a empunhar bandeira e escolher o discurso que goze de maior amparo  na mente e no coração das pessoas. A militância também se encarregará de empurrar os candidatos para o caldeirão de fervura das paixões e emoções. Os candidatos a vereador também começarão a ser selecionados para formar o pelotão de frente do candidato majoritário. Geralmente, esta escolha é natural e amparada naquilo que o eleitor sente e nunca naquilo que os adversários internos e externos tentam passar. O eleitor é suficientemente inteligente e treinado para 'farejar' nas esquinas o que mais 'aprega', mais tem 'cola' para fixar nas mentes e corações.
Chegou a hora dos candidatos que se escondem de microfone, ou dos 'agentes' ocultos que escondem microfone de candidatos saírem da zona de falso conforto e entregarem a campanha ao povo, sobretudo ao militante. Chegou a hora do comando escalar os mais treinados e não os 'queridinhos'  para as missões principais, destravando a militância para fazer suas escolhas conforme suas convicções.
Escrevam aí: Campanha vitoriosa é aquela que o eleitor militante manda nas ruas e ajuda a influenciar nas decisões de bastidores.    Quem não tem capacidade ou humildade para dialogar com a militância precisa repensar o papel que desempenha.
A hora é agora e ninguém segura. Chegou o momento da onça beber água. Quem sobe em cadeira por medo de barata deve ficar em casa confeccionando bandeiras ou coisas também úteis. A hora é de se doar e não de ensaiar desgosto, de fabricar demandas inexistentes ou de fazer beicinhos.
Com criatividade, 1 Real vira 1 milhão. Sem criatividade, 1 milhão vira um problema.
Escolha sua missão e comunique ao comando, começando a agir. Não fabrique problemas nem reclame deles,  pois quem não enfrenta problemas nunca conhecerá o gosto da vitória.
Ao bom combate, com respeito aos adversários e sutileza nas palavras. Leve sempre em conta que ouvido de eleitor não é penico.
Boa noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário