domingo, 22 de julho de 2012

A Batalha do Cavaco

Viemos dizer bem alto que a injustiça dói;nós somos madeira de lei que cupim não roi.
O Cavaco é o espelho de Araripina. Lá está o supra-sumo dos problemas que afligem nosso povo, em todas as partes, de forma linear. Quem vencer a Batalha do Cavaco, sendo recebido em cada casa e aprendendo com cada um que lá sofre  longos anos de abandono e desprezo, estará preparado para enfrentar a guerra política.
Na política bem praticada, as armas  usadas são ideas e verbos sintonizados com os anseios do povo e fundados na base da verdade absoluta.
Araripina cresceu em vários campos e precisa agora crescer no campo político. Não podemos mais permitir práticas remanescentes do absolutismo; não podemos permitir a entrada do obscurantismo, do mutismo 'falando alto' e tomando o lugar do iluminismo conquistado com dureza, sacrifícios e até mortes.
Precisamos manter em posto avançado a bandeira erguida por bravos pensadores, a exemplo de Rousseau, Montesquieu, Voltaire, Locke, Diderot e D'Alembert. A hora é de reagir.  A hora é de levantar a voz e defender  as conquistas do passado, sempre avançando dois passos a cada força empreendida.
Contem comigo para derrubar as cercas do atraso e do obscurantismo da atualidade, aqui e em qualquer parte onde haja desigualdade, opressão, humilhação e sujeição de homens e mulheres - pois só devemos nos curvar diante do Pai Criador.
A minha parte está sendo feita. Dei minha cara à tapa. Vesti a roupa de candidato e sai da zona de conforto; estou expondo minha família, meus negócios, minha liberdade indivual em nome de uma causa maior, que é a de levar adiante a bandeira do iluminismo em Araripina.
VOLTANDO À BATALHA DO CAVACO, resumo dizendo que lá ainda não chegou água encanada, não chegou esgoto nem calçamento, também não chegaram os serviços essenciais. Para que sirva de reflexão, todo araripinense quer beber a água do Cavaco, mas o povo daquele lugar ainda bebe água de favor, muitas vezes a salobra água levada de outros lugares - quase sempre sijeitando o povo guerreiro e altivo ao voto de cabresto que lá é repreendido em nome de Jesus.
Vou lutar contra tais injustiças. É minha vocação lutar. Estou preparado. Comecei a andar casa por casa. Estiquei até a casa do meu amigo, líder sindical, líder comunitário, líder de causas populares Manoel do Cavaco.
Hoje cedo, antes mesmo de tomar café, ele me ligou com a seguinte frase:
"Não consegui dormir bem sem ter assumido publicamente que voto e vou batalhar ao seu lado. Vou comunicar a outros que me procuraram para depois ir à sua casa e anunciar a minha decisão".
Esperei pacientemente e com fé em Deus. Manoel Gomes, ou Manoel do Cavaco, acabou de sair da minha casa. Me pediu somente uma coisa: ADESIVO E MATERIAL DE CAMPANHA. Me disse na despedida outra frase emblemática: "Vou atrás dos amigos de boa fé. Vou ver quem tem consciência. Vou andar casa por casa defendendo o seu nome,pois  por você lá ja trabalhou; e vou dizer que você e Alexandre vão tirar o Cavaco do atraso". Manoel disse isso com muita fé, com vontade de dizer, e combravura. Fiquei entusiasmado, pois me acompanhei de mais um iluminado, de mais um bravo guerreiro.
Eu me emocionei. Foi um velho amigo iluminado que voltou ao meu convívio. Com ele comecei  a luta pelo associativismo em Araripina. Com Manoel criei a primeira associação de agricultores formal deste querido torrão natal. Ele progrediu como homem e como liderança. Ele casou e eu também. Temos sementes plantadas. Vamos lutar juntos para consolidar o iluminismo e combater a MUDOCRACIA (de mudos em ação) em Araripina.
A evolução do iluminosmo no Cavaco pode ser resumida com uma informação pura  esimples: A associação que criei junto com Manoel Gomes, em 1993 no Cavaco rendeu uma fábrica de farinha e um trator para gerar emprego, dignidade e liberdade àquele povo; rendeu um laboratório fitorerápico e rendeu uma Rádio Comunitária, onde o povo do lugar pode fazer seu protesto e reclamar a dor que sente. Quem antes silenciava por medo, timidez provocada e falta de confiança, hoje pega um MICROFONE e levanta a voz, tirando de si o peso da subserviência e da dominação do homem pelo homem.
A semente está plantada. Já deu os primeiros frutos. Dará muitos outros de hoje em diante. Todos bons.
Vou fotografar a realidade atual. Vou lá colher depoimentos. Daqui a quatro anos eu voltarei para comparar também através de fotos e depoimentos a REALIDADE atual e a futura. Vou mostrar com ações, com bravura, com gestos e sem omissões, o que significa ILUMINISMO, o que significa amor ao próximo como quer o Pai Celestial. Vou mostrar aos que são incrédulos que existe político A e político B. Vou provar que sou diferente. Vou provar que sou madeira que cupim não roi.

Um comentário:

  1. Pois é a MUDOCRACIA aliada do CORONELISMO que ainda impera nestes sertões, a mesma elite arbitraria que me colocou na condição de EX doador de campanha após acontecimento na sexta-feira passada.

    ResponderExcluir