sexta-feira, 15 de junho de 2012

Serra ameaça retirar-se da disputa em São Paulo. Para o PSDB, as coisas sempre podem piorar.

Dirigentes do PSDB contrários à coligação com outros partidos na chapa de vereadores em São Paulo ameaçaram ontem destituir a Executiva Municipal da sigla, caso esta mostre disposição em apoiar o chamado "chapão".Em resposta, o pré-candidato tucano, José Serra, ampliou a pressão sobre a cúpula do PSDB e avisou, por meio de seus interlocutores, que, sem a coligação, não terá condições de ser candidato.


Serra também pediu a intervenção direta do governador Geraldo Alckmin -que está nos Estados Unidos e volta no domingo. Entre os contrários à coligação estão assessores e secretários de Alckmin.Dos 4 partidos que declararam apoio a Serra, 3 querem a coligação: o DEM, o PR e o PSD, do prefeito Gilberto Kassab. A ala que contesta a aliança aceita negociar a adesão do DEM e do PR, mas veta entendimento com o PSD.


Com a coligação, os tucanos teriam que dividir com aliados o número de candidatos que podem disputar a Câmara Municipal, o tempo de propaganda eleitoral e os votos de legenda.A maior resistência está no Diretório Municipal. Segundo a organização do partido, é ele quem elege a Executiva, a quem cabe regulamentar a proposta sobre as coligações.


Serra chegou a dizer a aliados que parte do PSDB quer sabotar sua campanha. Seus interlocutores têm apontado a influência do secretário estadual José Aníbal (Energia).Aníbal nega insuflar o partido, mas defende o veto à coligação. (Folha de São Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário