segunda-feira, 18 de junho de 2012

Quanto de sustentabilidade aguenta a economia vigente?

Três serão os grandes figurantes da Rio 20: os representantes oficiais dos Estados e governos, os Empresários e a Cúpúla dos Povos. Cada grupo é portador de um projeto e de uma visão de futuro.
Os representantes oficiais, a considerar o Borrador Zero, repropõem o desgastado desenvolvimento sustentável agora pintado de verde. Esquecem, entretanto, de confessar que ele fracasssou rotundamente.
Diz Gorbachov: ”o atual modelo de crescimento econômico é insustentável; ele engendra crises, injustiça social e o perigo de catástrofe ambiental”(O Globo 8/6/2012).
Os principais itens que sustentam a vida estão em degradação denunciou ainda em 2005 a Avaliação Sistêmica do Milênio o que foi repetido pelo recente relatório do PNUMA. O Borrador Zero da Rio 20 reconhece: ”o desenvolvimento sustentável continua a ser um objetivo distante”(n.13).
Mas parece não terem aprendido nada dos fatos. Em sua fé dogmática no desenvolvimento sustentável, que, no fundo, é crescimento material, continuam propondo mais do mesmo.
De forma contundente diz ainda Gorbachov: “vinte anos depois da Rio-92 estamos rodeados de cinismo e, para muitos, de desespero”.
Não teriam os agentes do atual sistema mundial sofrido uma espécie de lobotomia? Não sentem a urgência da ameaça ambiental. Preferem salvar o sistema financeiro e os bancos que garantir a vida e proteger a Terra. Esta já está com os faróis no vermelho e no cheque especial.
Leia a íntegra em Quanto de sustentabilide aguenta a economia vigente?

Nenhum comentário:

Postar um comentário