quarta-feira, 20 de junho de 2012

O Racha PSB / PT que nós antecipamos nas palavras de um palaciano.

Alianças partidárias não são eternas e a do PSB com o PT pernambucano insere-se nessa regra. Ela já tem mais de uma década, mas o seu prazo de validade está se encerrando. O desmonte está previsto para amanhã ou sexta-feira quando o governador Eduardo Campos comunicar ao povo do Recife que o PSB terá candidato próprio à sucessão do prefeito João da Costa. Com isso, frustram-se as expectativas do senador Humberto Costa de disputar a eleição com o apoio dos socialistas.
Conforme o próprio senador, esse rompimento estava previsto para ocorrer em 2014 quando o PT lançará um candidato a governador contra o candidato do PSB. O candidato do PT seria o próprio senador ou, numa hipótese menos provável, o deputado federal João Paulo. Que, por equívoco, não “estadualizou” o seu mandato quando foi prefeito do Recife por oito anos. No entanto, o governador quer fazer agora esse enfrentamento a fim de poder aferir o seu tamanho político na capital.
Se seu candidato for vitorioso, ele assumirá a hegemonia da Frente Popular na mais importante cidade de Pernambuco, onde o PSB sempre foi frágil. E se por acaso perder para Humberto Costa, disporá do tempo necessário para recompor sua relação com o PT. O que parece cada vez mais clara é a disposição manifestada por ele de se afastar paulatinamente dos petistas sem que isso implique, necessariamente, um rompimento político com Lula e a presidente Dilma Rousseff.

O vice – Por ter sido o vice de João Paulo (PT), o deputado Luciano Siqueira (PCdoB) não tem interesse em compor a chapa que será encabeçada pelo secretário Geraldo Júlio (PSB). Mas ela já foi oferecida ao seu partido que ainda hoje dará uma resposta ao presidente Sileno Guedes.

A divisão – PT (Lula), PSB (Arraes) e PCdoB (João Amazonas) formaram a “Frente Brasil Popular” nas eleições presidenciais de 89 (vencida por Collor) e 94 (vencida por FHC). Agora, o PSB (Eduardo Campos) entende ser chegada a hora de caminhar com suas próprias pernas.

A distância – PT e PSB também estão com as relações estremecidas em SP depois que Erundina (PSB) renunciou à vaga de vice na chapa de Fernando Haddad (PT). Ela ficou escandalizada com a ida de Lula à casa de Maluf em busca do apoio do PP para o ex-ministro da educação. E devolveu a candidatura ao partido, que permanecerá na aliança mas não fará nova indicação.

Lua de mel – Armando Monteiro (PTB) e Eduardo Campos estão novamente em lua de mel. O que os reaproximou foi a eleição do Recife, onde os petebistas irão caminhar com o candidato do PSB. A reaproximação pode ter desdobramentos em Garanhuns, onde o PSB marchará com Izaías Régis (PTB) se ficar comprovada a inviabilidade da candidatura de Antonio João (PSB).

Inaldo Sampaio está confirmano agora o que o Meu Araripe notiiou há mais de um ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário