segunda-feira, 25 de junho de 2012

Estejam todos preparados.O recado veio de Inaldo.


"Lula não aceitou os argumentos do governador Eduardo Campos de que o lançamento de um candidato do PSB à prefeitura do Recife tem por finalidade impedir a volta de um representante da oposição. Na opinião do governador, é preferível a vitória com Geraldo Júlio (PSB) à derrota com o senador Humberto Costa (PT), que teria força política para chegar ao segundo turno se fosse o candidato único da Frente Popular. Mas, na disputa final, não teria com quem celebrar novas alianças.
O ex-presidente, segundo testemunho de petistas, não esperava essa atitude do governador de Pernambuco, a quem dispensou tratamento vip quando estava no Palácio do Planalto. Lula queria que o PSB apoiasse a candidatura do senador – que é um dos seus mais fieis discípulos desde a fundação do Partido dos Trabalhadores – por duas especiais razões. Primeira, para que o Recife permanecesse sob controle do PT. Em segundo lugar, porque o PT apoiou o PSB no 2º turno de 2006.
O desejo do ex-presidente não foi atendido e os dois principais partidos da Frente Popular irão para o confronto. Isso terá sérios desdobramentos na política local e nacional. Afinal, o que houve no Recife não foi apenas uma jogada tática do PSB visando à conquista da prefeitura. Foi uma ruptura do PSB com o PT e o rompimento político do governador com o ex-presidente Lula. Pelo menos é sob essa ótica que o ex-presidente encarou a decisão do PSB de não apoiar Humberto Costa".

AGORA,O MEU ARARIPE

SERÁ UMA GUERRA
O Brasil mudará de uma vez. Era mesmo preciso que isto ocorresse. Não dava mais para continuar com um partido único fazendo e desfazendo no País. O Meu Araripe antecipou, a mais de um ano, que um dos netos - o de Arraes ou o de Tancredo, aparceria em breve para tentar escrever nova história. Pois está aparecendo o de Arraes, já que o de Tancredo escreve história de submissão, embora colabore, lá em
Belo Horizonte, com a jornada de Eduardo Campos.
Não é possívela saber inda se Aécio Neves se juntará a Eduardo Campos, sendo seu vice, ou se será coadjuvante para levar a próxima eleição presidencial ao segundo turno. Mas o cenário, a partir de agora, será outro no Brasil e Pernambuco está provando que sim. Observem o que acontece e acontecerá em nossa capital e vejam o que aconteceu em Araripina recentemente. É só uma amostra do que vem.
Estejam todos preparados. Se não for de fibra, sente no sofá e assista pela televisão.
Bom dia.


MAIS DO MESMO
Também segundo Inaldo:

Oposição 1 – Por ser o 1º colocado nas pesquisas dentre os pré-candidatos da oposição a prefeitura do Recife, Mendonça Filho (DEM) defende a retirada das outras três candidaturas em favor da dele. Mas Daniel Coelho (PSDB) e Raul Henry (PMDB) estão se negando a apoiá-lo.

Oposição 2 – A tendência de Daniel e Raul e se juntarem a Geraldo Júlio (PSB), já que Eduardo Campos fez nesta campanha aquilo que era o desejo deles: afastar-se do PT. Aliás, essa era a única condição exigida por Sérgio Guerra para levar o PSDB estadual para a base do governo.

Duas visões – Do núcleo inflexível do “jarbismo”, quem mais se opõe à aliança do PMDB com o PSB é o ex-secretário José Arlindo Soares. Ele é 100% favorável ao apoio de Raul Henry à candidatura de Mendonça Filho (DEM), caso o peemedebista se afaste da disputa. Já Murilo Cavalcanti, da ONG “Brasil sem armas”, é 100% a favor de uma aliança do PMDB com o PSB.

DE VOLTA O MEU ARARIPE
O jarbismo se espalha em todo estado. O lugar mais distante da capital onde ele está presente é em Araripina. Aqui, a junção dos soldados já se deu, com a autorização do próprio senador Jarbas Vasconcelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário