domingo, 17 de junho de 2012

Estatal para gerir o trem-nada

O governo criou na sexta-feira, por meio de um decreto, a Etav, empresa estatal que vai administrar o trem-bala. A decisão foi publicada no Diário Oficial no mesmo dia em que estava prevista a divulgação do edital para a concessão da primeira fase do trem de alta velocidade (TAV), conforme o último balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

No entanto, a criação da estatal é um estágio ainda bastante anterior à divulgação do edital, o que deve consumir pelo menos mais um mês de trabalho. O leilão da primeira fase, que contratará a tecnologia envolvida no projeto, estava previsto para ocorrer em novembro, mas foi adiado para 2013. O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, já indicou para a presidência da Etav o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) Bernardo Figueiredo, um dos idealizadores do projeto do trem-bala.

Figueiredo esteve à frente da elaboração da entidade até março, quando teve sua recondução à diretoria-geral da agência reprovada pelo Senado Federal. Ele é uma pessoa de confiança da presidente Dilma Rousseff, com quem trabalhou quando ela era ministra da Casa Civil, na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva.
De acordo com previsão do governo federal, divulgada no último balanço do PAC, o projeto que ligará São Paulo a Campinas e ao Rio de Janeiro tem um custo estimado em R$ 33,2 bilhões. Um leilão chegou a ser realizado no ano passado, porém sem sucesso. As companhias interessadas em participar do projeto consideram o valor da obra estimado pelo governo irreal. Para elas, o custo do projeto estaria em torno dos R$ 50 bilhões. (O Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário