terça-feira, 19 de junho de 2012

Lula voltou, Alexandre poderá voltar. Tudo pode acontecer até sexta-feira.


Alegria de uns, tristeza de outros. A vida é assim. Mas, independente do sentimento que primeiro induz sorriso e choro, a verdade é que a cidade de Araripina está paralisada, indefesa, indecisa, sem ânimo, sem graça, sem rumo, sem vontade de fazer o que mais gosta: FESTAJAR no Parque Três Vaqueiros,  onde já acontece o seu tradicional São João.
O nome do responsável? Um cidadão chamado Jovaldo Nunes, que poderia ter escolhido o dia de ontem, ou o dia de amanhã, ou qualquer outro dia mas, mas não o de hoje, conforme anunciavam previamente os aliados do prefeito que reassume, Lula Sampaio. Decisão judicial não se discute, se cumpre. É o que está acontecendo.
Alexandre Arraes, o agora, ou por enquanto, ou até dezembro, vice-prefeito de Araripina, deu entrevista calculada, serena, pacificadora, adotando a mesma linha que usou para assumir. Ele suspendeu os contatos que fazia com escalões superiores de Recife para conceder entrevista à Rádio Arari FM, quando expôs o ocorrido (do afastamento) e convocou a população a levantar a cabeça e frequentar o parque. Não disse, contudo, o que circula de informações nos bastidores de sua residência, onde a convicção é de que a decisão do presidente do Tribunal de Justiça, além de monocrática, é extremamente equivocada. Esta é a opinião de advogados que já leram a sentença. O que primeiro aparece de reação é um riso irônico e a interrogação: Como concordar que houve tantos erros e ao final decidir pelo retorno do que classifica  infrator?

A DECISÃO
Tomada apenas pelo presidente, monocraticamente, sem considerar o pensamento e voto do colegiado, a decisão do presidente do TJPE coincidiu em cheio com aquilo que os aliados de Lula espalhavam pelas ruas de Araripina e com o que ele próprio garantiu em emissora de rádio.  Também foi o mesmo que apostadores de plantão pregavam ao chamar outros para apostar.
No despacho, Jovaldo Nunes acata toda denúncia feita pelo Ministério Público e com a sentença do Juiz João Ricardo da Silva Neto mas, ao final, decide pelo retorno do prefeito afastado.

CABE RECURSO, MAS HÁ UM RECESSO
Alexandre Arraes, aparentemente, está seguro. Não diz para a militância nem para os aliados, mas o ar é de tranquilidade. Tranquilidade que aumenta a cada conversa que mantém com fontes privilegiadas e advogados com experiência em tribunal que consulta. Já outras pessoas do seu entorno deixam escapar que acreditam num retorno muito rápido, o que não foi transmitido publicamente pelo prefeito, em entrevista que concedeu.

PODE SER TÁTICA
Alexandre Arraes nunca confiou plenamente em todos que se juntaram ao seu grupo. Isto é compreensível. Lula Sampaio também não acredita na  verdade das palavras dos que estão se aproximando. O que não falta em Araripina é a famosa figura da ‘Diana do Pastoril’, aquela que  veste azul e encarnado para agradar aos dois lados.
Pelo visto, para tirar tal dúvida, Alexandre não quer passar nenhuma impressão de que pode voltar. Seria esta uma forma de tirar a prova dos nove, o que ele também não diz, mas pode está aproveitando a ocasião para fazer.   

NADA DE ISCA PARA CAPTAR LULA
Versões espalhadas pela cidade dão conta de que tudo que está ocorrendo, de tão inesperado e difícil de ser qualificado na esfera jurídica, seria uma armadilha para apanhar sem maiores esforços a turma de Lula Sampaio, justamente aquela que a justiça não conseguiu acusar por falta de elementos concretos. Mas não se trata disso. A justiça não utiliza desses métodos. Quem quiser ter ‘atitude’, tanto de um lado, quanto de outro, pode se precaver, evitando euforia e atos indignos. Lula pode continuar no cargo, mas Alexandre também poderá voltar, ficando até dezembro, ou saindo e voltando, numa indefinição que só a justiça é capaz de proporcionar.
OS PARTIDOS ALIADOS, AS COLIGAÇÕES E AS AMARRAÇÕES
Segundo uma fonte ouvida pelo blog, até mesmo pessoas citadas por Lula Sampaio em entrevista que concedeu agora à noite estão comprometidas com a candidatura de Alexandre e não têm como recuar. O motivo de tanta segurança não foi informado, mas os métodos, segundo soubemos, são seguros e republicanos, não permitindo recuos. A conferir.
Estariam, desta forma, assegurados os apoio de partidos como PC do B, PRTB, PRB, entre outros que já declararam adesão à candidatura de Alexandre Arraes.

LULA SAMPAIO garante que vai concluir seu mandato e que amanhã estará com pesquisas para saber o que pensa o eleitor. Não garante que será candidato a reeleição, condicionando sua postura ao resultado de pesquisa que encomendou.

NADA RELACIONADO COM O DISTANCIAMENTO DE EDUARDO CAMPOS DO PT
A turma de Zé Dirceu não está por trás do episódio. Não tem desquilíbrio de forças nos tribunais, até porque eles não têm lado político. O que houve, na verdade, ainda não tem denominação. A turma que gosta de inventar apelido para esse tipo de coisa está de cabeça quente sem encontrar um adequado. Zé Dirceu é perseguidor e tem poder no Brasil, mas em Pernambuco ele sempre esbarra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário