segunda-feira, 14 de maio de 2012

A volta do velho Collor

Trecho do pronunciamento do ex-presidente cassado por corrupção, Fernando Collor de Mello, atualmente senador por Alagoas, feito de hoje à tarde na tribuna do Senado: 

"Por tudo isso, também chama atenção a reação patológica da revista Veja. Daqui mesmo, deste Plenário, já denunciei alguns fatos vergonhosos, que estão nos Anais desta Casa. Já denunciei daqui, desta tribuna, fatos vergonhosos desses que se julgam paladinos da moral e da correção. Forneci nomes e contei detalhes. Relatei a proposta que um desses rabiscadores fez a um Ministro do Supremo, para que ele me condenasse, em troca de destaques na revista. Denunciei os métodos rasteiros utilizados por confrades por ocasião do meu impeachment, como o fornecimento de informações obtidas ilegalmente a Deputados para que esses procedessem às denúncias como se fossem anônimas, tudo sob a proteção da imunidade parlamentar e do sigilo da fonte.

Até hoje não me contestaram, não me desmentiram, não me responderam. E sabem por quê? Porque eu falo a verdade. E, em nome da verdade, eu desafio o chefe maior desse grupelho, o Sr. Roberto Civita, a comparecer também à CPMI para falar da co-habitação que, a seu mando, a revista de sua propriedade e alguns de seus jornalistas mantém com o crime organizado.

Presto-me até a refrescar a sua memória – que, certamente, continua refrescada – com outros fatos delituosos ligados aos seus negócios, ligados aos seus confrades. Acho que está na hora de desmascararmos este Sr. Roberto Civita e suas atividades paralegais. Se a razão do Sr. Civita é tão patente e lúcida, se sua defesa da liberdade é tão consistente, não terá este capodecina qualquer receio de se manifestar pessoalmente, de ser as "vozes da nação".

Nenhum comentário:

Postar um comentário