sexta-feira, 11 de maio de 2012

Currais eleitorais vão pagar o preço do apoio socialista em São Paulo.

Para impulsionar a candidatura de Fernando Haddad a prefeito de São Paulo, a Executiva Nacional do PT editou ontem resolução que exige que as candidaturas em cidades com mais de 200 mil eleitores sejam homologadas pela cúpula do partido. Na prática, isso abre espaço para vetar candidaturas próprias e impor alianças com outras siglas sem a necessidade de intervir formalmente em diretórios petistas. A medida atinge ao menos duas cidades importantes na negociação para atrair o PSB à chapa de Haddad: Mossoró (RN) e Duque de Caxias (RJ). Nesses municípios, os petistas locais querem candidatura própria, e a direção nacional é favorável a uma aliança com os socialistas.

Outras cidades em que o PT negocia alianças com partidos diferentes -como Porto Alegre, em que há tratativas com o PDT- também são abarcadas pela medida. Para entrar em vigor, a resolução tem de ser aprovada pelo Diretório Nacional do PT, que faz sua próxima reunião no dia 18, em Porto Alegre. O presidente do partido, Rui Falcão justificou a medida como um instrumento para evitar intervenções. "Nas cidades com mais de 200 mil eleitores, ou em polos regionais, as chapas deverão ser antes dos registros homologadas pela Executiva Nacional, justamente para não ter que provocar intervenção." 

O PT tem histórico de intervir em diretórios em nome de planos nacionais. Um exemplo foi o veto à candidatura de Vladimir Palmeira a governador do Rio em 1998 em troca do apoio do PDT à candidatura presidencial de Lula. Até aqui, nenhum partido declarou apoio a Haddad. "Esperamos já no encontro municipal [em 2 de junho] ter alguma aliança firmada", disse. Em visita ontem a Itaquera, o pré-candidato do PT disse que a nova pesquisa Ibope -em que aparece com 3% das intenções de voto contra 31% de José Serra (PSDB)- mostra que "a população ainda acompanha de longe" a campanha. Falcão disse não estar preocupado e que viu o resultado de "forma serena".(Folha de São Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário