segunda-feira, 9 de abril de 2012

O fim de um e a piora de outro

Ontem, o UOL publicou extensa matéria dando conta de uma iminente fusão do DEM com o PSDB. 

A oitava bancada da Câmara dos Deputados. Apenas quatro senadores. Somente uma governadora de Estado. Dois escândalos de corrupção recentes. Ex-todo-poderoso do Congresso, ainda sob o nome de PFL (Partido da Frente Liberal), o Democratas passa por uma crise de representatividade. Às vésperas de uma eleição municipal, que poderia redimir a legenda, não faltam integrantes mais ansiosos por uma eventual fusão com o aliado PSDB do que por crescer nas urnas. O senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), um dos raros expoentes do DEM sem vínculo com famílias tradicionais, deixou o partido “com rumo frouxo” –nas palavras de um dos seus dirigentes. Leia mais aqui.

Hoje pela manhã, o presidente do DEM, senador José Agripino Maia, queixava-se no twitter por não saber quem, do seu partido, está espalhando estes boatos. Ao que tudo indica, o fim está próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário