sexta-feira, 20 de abril de 2012

Eis uma CPI Global e sem cabresto

Dois dos grandes objetivos de Lula e José Dirceu, ao incentivar a criação da CPI do Cachoeira, são atacar a revista Veja e tentar envolver o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, em denúncias. O objetivo é tentar enlamear Imprensa e Judiciário às vésperas do julgamento do Mensalão. Não se fala em outra coisa na esgotosfera do Nassif, Amorim e outros asseclas do chefe da sofisticada organização criminosa do Mensalão.

Não existe nada contra a Veja. Nenhum dos telefonemas entre um repórter e o bicheiro redundou em qualquer benefício para o segundo. Durante o período que o repórter usou o bicheiro como fonte não havia nenhum mandato de prisão contra o mesmo. É muito mais criminoso este bando de ratos da esgostosfera ter como convidado de honra nos seus eventos um acusado de crimes horrorosos contra os cofres públicos, que pode pegar 111 anos de cadeia se for condenado no Mensalão, do que alguém ter falado com Cachoeira, antes do mesmo ser preso.

O fato é que a CPI do Cachoeira estará pegando fogo justamente durante a Rio+20, quando toda a imprensa mundial estará aqui. Será uma ótima oportunidade para mostrar os níveis de corrupção no governo petista e a sua sanha persecutória contra a imprensa livre. Imaginem a maior revista do país sendo interrogada por uma CPI composta, na sua maioria, por notórios corruptos, por um ex-presidente impichado, por fichas sujas da pior espécie, diante de milhares de jornalistas internacionais,tendo como um dos seus maiores objetivos calar a imprensa livre. Sem dúvida alguma, o Mensalão voltará às manchetes. Também do New York Times, do El País, da L'Express...

Nenhum comentário:

Postar um comentário