quarta-feira, 4 de abril de 2012

Comandando Addad, antes dos 111 anos de condenação.

O ex-deputado e ex-ministro José Dirceu foi um dos articuladores na montagem do comando de campanha de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo. Dirceu -que teve o mandato cassado em meio ao escândalo do mensalão- atuou como avalista na escolha do vereador Antonio Donato para coordenador do comitê. Sua tarefa foi, segundo cinco petistas, aplacar o incômodo causado pelo anúncio da escolha de Donato na Construindo um Novo Brasil, corrente petista majoritária da qual Dirceu faz parte. 

A movimentação de Dirceu incluiu um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde de segunda-feira. Segundo a assessoria do Instituto Lula, onde aconteceu a reunião, a conversa foi rápida, "para tratar de eleição municipal". O presidente do PT, Rui Falcão, confirmou, por meio da assessoria, a participação no encontro. Não deu detalhes. Dirceu se reuniu também com o deputado Vicente Cândido, de quem ouviu reclamações à condução política da campanha, concentrada na mão de três vereadores. 

A um interlocutor Dirceu disse que esteve com Vicente e que ele estaria disposto a colaborar com a campanha.Após a conversa, Dirceu esteve com Falcão na Assembleia de São Paulo. E, de lá, foram ao Instituto Lula. O nome de Donato foi formalmente divulgado como indicação da CNB logo depois. Procurado, Haddad fez questão de lembrar que o nome de Donato fora submetido ao conselho político da campanha, no sábado, dois dias antes de Dirceu entrar publicamente em campo. Dirceu negou que tenha discutido eleições com Lula. O ex-ministro afirmou que foi relatar ao ex-presidente como está o andamento do processo do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal). (Folha de São Paulo)

(Acusado como chefe da sofisticada organização criminosa do Mensalão, cujo julgamento começa em maio, José Dirceu pode pegar até 111 anos de cadeia, se for condenado por todos os crimes dos quais é acusado.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário