terça-feira, 6 de março de 2012

A prefeitura, o fogo amigo e a degola do dia 31 de março.

A equipe de governo de Alexandre Arraes é heterogênia: núcleo duro, lulistas, bringelistas, vaideirista, e todo dito de 'ista'. Natural que houvesse cruzamento de braços, fogo amigo e o inevitável corte pré-eleitoral, a famosa peneira.
Alexandre Arraes prometeu só telorar até 31 de março o corpo mole e a indefinição. Se estivesse interessado em conter gastos e 'purificar' a equipe, já poderia passar a tesoura assinando portarias. Alguns não escondem a preferência por outros candidatos. Fazem jogo aberto e descumprem determinação do chefe na maior 'simpatia'.
Algumas pessoas acreditam que os 'expoentes' vão resolver problemas pequenos quando fizerem o 'acerto' final privilegiando seus próprios interesses. Há ingênuo para quase tudo neste mundo.
Como dizem na igreja: "Deus proverá".

Nenhum comentário:

Postar um comentário