sábado, 17 de março de 2012

O PT, o mensalão e a estratégia da eleição

Leiam os dois posts abaixo, porque eles fazem parte da mesma estratégia. O PT desenvolveu uma capacidade invejável de mentir para o povo e para o eleitor. É isto que deve ser desmascarado já, agora, sem piedade do Lula canceroso que aparece, vestido de branco, alquebrado e dolorido, tentando negar o que ele mesmo criou. É hora de grudar no Haddad, que tenta fugir dos mensaleiros e aloprados do seu partido, a estrela do partido sujo, do partido corrupto, do partido que quase destruiu São Paulo quando governou a cidade. Atenção aí, José Serra! Eles querem ficar bonzinhos. Eles querem tirar do corpo a sujeira do fisiologismo, da corrupção, do mensalão.  Este será o discurso. Agora eles querem se distanciar do Jucá, do Sarney, do Renan, do José Dirceu, do Delúbio e dos seus operadores, para lavar a imagem . Chegam até a falar em frente suprartidária. Em grande transformação. Olho vivo. Petista não deixa de votar em petista. Mas sempre tem uns eleitores bocós que caem nas estratégias bem desenhadas pelo marquetismo da esquerda. Estão tentando criar um discurso novo. Novo como quem? Como o Haddad, o Eduardo Braga e outras figuras até então desconhecidas.  É hora de cortar o mal pela raiz. Nitidamente, a estratégia é criar um lado bom e um lado ruim na política. E, como todo o cinismo, eles vão pregar uma "transformação" como se não tivesse sido o PT quem montou esta bandalheira em que virou a política no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário