terça-feira, 6 de março de 2012

Insatisfação do PMDB é problema muito grande

O presidente em exercício da República, Michel Temer, recebe às 17h de hoje, em seu gabinete na vice-presidência, manifesto de deputados do PMDB reclamando do governo e do PT. "Como membro do governo farei o possível para contornar qualquer espécie de insatisfação, mas o cenário não é bom", disse Temer ao jornal O Estado de S. Paulo, ao admitir ter ouvido "as mais variadas queixas" dos partidos da base governista, inclusive o PT.
Nas últimas 24 horas, ele trocou telefonemas com toda a cúpula do PMDB, inclusive o presidente do Congresso, José Sarney (MA), e os líderes no Senado, Renan Calheiros (AL), e na Câmara Henrique Alves (RN).
A um dos deputados que o procurou para avisar que assinaria o manifesto, o vice pediu calma, mas reconheceu que a insatisfação é generalizada e ameaça a tranquilidade do governo no Congresso.
A queixa maior do PMDB, expressa no manifesto, é contra "a ameaça do PT, que se prepara, com ampla estrutura governamental, para tirar do PMDB o protagonismo municipalista e assumir seu lugar como maior partido com base municipal. O PMDB tem hoje 1.177 prefeitos e os mais alarmistas temem que esse número seja reduzido à metade.
Para a cúpula do PMDB, o que está na berlinda é a relação do governo com o Congresso e não só com o maior partido aliado. Nesse sentido, a direção partidária vê o manifesto como expressão pública de uma insatisfação geral, que vai além dos limites peemedebistas.
Leia mais em  'Cenário não é bom', avisa Temer sobre aliança PT-PMDB

Nenhum comentário:

Postar um comentário