terça-feira, 27 de março de 2012

De presidenciável à descartável.

Em 7 de dezembro passado, o DEM, ainda em estertores, lançava Demóstenes Torres como pré-candidato à presidência da República em 2014. "Claro que em 2014 há uma boa expectativa de que o DEM lance candidato nacionalmente. Só me resta trabalhar, trabalhar e trabalhar", dizia o senador desistindo do pequeno cargo de prefeito de Goiânia para permanecer em Brasília. Nas internas, o DEM já cogita da sua expulsão, se a PGR abrir inquérito contra o senador. O DEM já cobrou uma posição de Roberto Gurgel: "Se o procurador pedir a abertura de inquérito é ruim", disse o presidente do DEM, senador José Agripino (RN): "Mas é preciso dar direito de defesa ao Demóstenes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário