segunda-feira, 26 de março de 2012

Amigo da Onça: Aécio fecha com o PSB em Belo Horizonte e PSB faz charme com Serra em São Paulo.

Em Belo Horizonte, o PSDB dará apoio ao PSB e o PT indicará o vice. Enquanto isso, em São Paulo, o PSB diz que não apoiará José Serra. É hora de Aécio Neves provar que é um homem de partido e avisar ao PSB que, sem São Paulo, não há Belo Horizonte. Como diz o velho ditado: espere esse trem sentado.

Em encontro que durou cerca de 3 horas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos (PE), sinalizou que não vai apoiar o candidato do PSDB em São Paulo,José Serra. Participaram da reunião o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão,e o prefeito de SãoBernardo do Campo, Luiz Marinho. Campos ainda avisou aos petistas que seu partido só decidirá se vai apoiar o pré- candidato Fernando Haddad na capital em junho.

Falcão saiu do encontro, que aconteceu no apartamento do ex-presidente, em São Bernardo, dizendo-se otimista e convicto de que o PSB não deve apoiar o tucano. “Acho que não há esse risco”, afirmou. Campos chegou por volta das 20h15 ao apartamento de Lula, onde os petistas o aguardavam para a reunião. Segundo Marinho, o único acordo fechado na noite é de que o PSB vai apoiar o PT nos municípios do ABC paulista. Já as negociações para um apoio ao pré-candidato do PSB em Campinas, Jonas Donizetti, ainda não progrediram. “Nem houve avanço,nem houve retrocesso”, disse Falcão. Segundo o líder nacional do PT, Campos concordou em fechar um calendário de negociações entre os dois partidos. Falcão ressaltou que, na conversa, eles insistiram para que as duas siglas caminhem juntas dentro do projeto nacional do qual fazem parte. “Dissemos que temos um projeto nacional e que queremos mantê-lo. Independente de disputas locais, queremos manter este projeto”, insistiu Falcão.

Otimistas com a conversa com Campos, os petistas saíram do encontro seguros de que as duas legendas têm chances de chegar a um acordo. “Ele vai levar em conta por que sabe qual a importância do Haddad em São Paulo”, afirmou Falcão. O movimento mostra que Lula assumiu as articulações políticas pelas eleições de 2012, especialmente em São Paulo. A estratégia do ex-presidente é costurar o apoio do PSB à candidatura de Haddad vinculando-o a acertos com o PSB em outras capitais e municípios do País.Um dos pedidos de Lula a Campos é que o PSB apoie também a candidatura de Maurício Rands (PT) em Pernambuco.Em troca,os petistas terão que dar apoios ao PSB em vários outros municípios. (Estadão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário